CUIABÁ

AGRO

Escola do Campo de Leverger sedia Semana Nacional de Alimentos Orgânicos

Publicados

AGRO

A Escola Estadual do Campo Santana do Taquaral, localizada no município de Santo Antônio de Leverger (MT), realiza diversas atividades na semana do meio-ambiente. No período entre sexta-feira (31.05) e sábado (08.06), entre vários trabalhos desenvolvidos, está a Semana Nacional de Alimentos Orgânicos. São seminários, painéis, mesas de conversa e oficinas ligadas ao tema rural de interessa a comunidade, formada por pequenas propriedades ligadas a agricultura familiar.

“Oficinas que vão desde segurança alimentar até desossa de peixes, passando por trabalhos pedagógicos, como de letras decorativas. O foco no entanto, será a segurança alimentar e produção de alimentos orgânicos”, assinala a coordenadora de educação do campo e quilombola da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Cleomara Nunes do Amaral.

A equipe da Seduc participa, hoje quinta-feira (06) de diversas atividades na escola. A oficina de letras decorativas será ministrada pela técnica Euzemar Fátima Lopes de Siqueira que aguarda um público formado por moradores da região, incluindo estudantes de escolas próximas.

“São letras enormes confeccionadas em lã e arame. São utilizadas para a decoração da escola, mas podem ser feitas para festas nas casas ou comunidade”, ressalta.

Leia Também:  MT é só o 19º colocado no ranking de vacinação contra a COVID-19

Cleomara coordenará um painel sobre segurança alimentar e agricultura familiar, marcado para esta quinta-feira de manhã. O painel é um dos mais esperados pelos participantes. A professora doutora Lisanil Patrocínio, da Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat) vai debater sobre produtos orgânicos.

“A segurança alimentar não é importante só para os pequenos agricultores, mas também para toda a sociedade. Um país só tem soberania se tiver um programa de segurança alimentar”, frisa Cleomara. O foco desse painel estará centrado na produção de alimentos orgânicos que exige uma série de requisitos para ter o selo de certificação.

A coordenadora lembra que, muitas vezes, a falta de informações passa a ser um obstáculo para que o pequeno agricultor obtenha o selo de alimento orgânico.

“É aí que entram as oficinas que orientam os interessados como conseguir a certificação. Muitos agricultores já têm quase tudo pronto, faltando alguns detalhes para obter o selo de alimento orgânico que preço é sempre maior e o lucro do produtor também”, frisa.

Leia Também:  Criança de dois anos morre de Leishmaniose em Rondonópolis

A Semana Nacional de Alimentos Orgânicos é uma realização da Unemat em parceria com a Seduc, Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) campus São Vicente, e Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

 

Fonte: Assessoria

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

AGRO

MT aumenta área plantada de soja, mas deve produzir menos

Por fim, a produção total para a próxima colheita ficou projetada em 39,48 milhões de toneladas para o estado.

Publicados

em

Sobre a produtividade, a estimativa foi estipulada em 58,62 saca/hectare, menos que 2021. FOTO - Exame/Alexis Prappas

A área aguardada de soja para a próxima temporada no estado de Mato Grosso (safra 2022/23) ficou projetada em 11,13 milhões de hectares, incremento de 2,55% em relação à safra 2021/22.

A ampliação inicial está pautada pela valorização do preço da oleaginosa, demanda aquecida e o momento de preços favoráveis dos subprodutos da soja, o que motivou alguns produtores a fazerem a conversão de áreas de pastagens para agricultura, principalmente em regiões onde a pecuária predomina — Nordeste, Noroeste e Norte.

A informação foi divulgada, nos últimos dias, pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA), no boletim semanal da soja. Sobre a produtividade, a estimativa foi estipulada em 58,62 saca/hectare, o que representa 1,26% abaixo em relação ao rendimento da safra 2021/22.

Apesar do recuo na estimativa, neste primeiro momento as projeções ficam limitadas,
devido a alguns pontos que podem impactar no decorrer da safra, como: condições climáticas e incertezas de investimento devido ao alto custo de produção.

Por fim, a produção total ficou projetada em 39,48 milhões de toneladas para o estado.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  MT é só o 19º colocado no ranking de vacinação contra a COVID-19
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA