CUIABÁ

AGRO

Louvada amplia produção em MT e abre fábrica em RO

Publicados

AGRO

Com três anos de atuação em Mato Grosso, a Cervejaria Louvada dá mais um importante passo em seu plano de expansão com a inauguração, no dia 13 de dezembro, da nova fábrica em Cuiabá.

Além de ampliar a exploração de mercado em outros estados, a empresa passará a contar um uma planta em Porto Velho, Rondônia, cuja operação está prevista já para janeiro de 2019.

A nova fábrica possibilita um aumento de até cinco vezes na produção, permitindo que a Louvada concretize seus planos de chegar a todo o Brasil. Hoje, a marca está presente também nos estados de Mato Grosso do Sul, Goiás – incluindo Brasília -, Santa Catarina e Rondônia. Este último, a partir do ano que vem, passará a contar com a própria linha de produção, com foco em mercados da região Norte como os do Acre e do Amazonas.

“A Louvada estava trabalhando no limite”, revela o diretor comercial Ygor Quintela. Com a demanda crescente, era necessário crescer para atender a todos os pedidos, que vinham de toda a região Centro-Oeste.

“Haverá, inicialmente, um aumento de produção de 150%, podendo chegar a 500%”, calcula. A nova planta tem 2.200 m² de área construída, com possibilidade de ampliação, já que o tamanho total do terreno é de 5.000 m².

Segundo o empresário, além de maior, o maquinário conta com o que há de mais moderno hoje no Brasil em termos de tecnologia de produção de cervejas artesanais.

“Das 850 cervejarias do tipo existentes hoje no Brasil, certamente teremos uma das maiores e mais avançadas do país. E o que é mais importante para nós e, claro, para o cliente: podendo oferecer um produto com qualidade ainda maior”.

Louvada Rondônia

Ygor explica que o objetivo com o crescimento é suprir também a demanda que vem de outros estados. “A ideia da fábrica nova é vender para o Brasil inteiro e vamos intensificar a atuação na região Norte do país. Vamos montar em Porto Velho, com um parceiro local, a Louvada Rondônia”, comemora. Neste caso, a cervejaria irá aproveitar o maquinário anterior. “Vamos desmontá-la a partir da semana que vem, montamos agora em dezembro e em janeiro estará produzindo”, garante o empresário.

A nova fábrica em Cuiabá e a abertura em Rondônia, mesmo numa economia praticamente estagnada, é uma mostra de ousadia e confiança numa mudança nos rumos do país.

“Estamos sendo ousados, mas esperamos uma recuperação da economia. No mercado financeiro, de onde venho, é muito comum o pensamento de que é preciso estar preparado para quando a situação estiver mais favorável. Nossa proposta é ir para a frente, sempre”, frisa.

É o mesmo arrojo demonstrado há três anos, quando foi lançada a Cervejaria Louvada. “Quando nós chegamos, o mercado era praticamente nulo. Começamos a abrir o mercado, dando inclusive possibilidade para que outras marcas, outros investimentos fossem feitos no estado. Faz parte do processo. Isso é bom, ajuda. Na verdade, quando a gente tem fábricas artesanais parceiras a gente se ajuda. Existe mercado para todos”, analisa o diretor comercial.

Novos estilos e sabores

Ygor informa ainda que a Cervejaria Louvada adquiriu uma minifábrica para criar e testar novos produtos que pretende colocar no mercado.

“Queremos trazer novidades, mas elas precisam estar dentro do padrão que queremos antes do lançamento. Então, o equipamento nos possibilitará isso, o que não tínhamos como fazer antes, pois estava sempre no limite. Nos dará a chance de fazer produtos especiais. Se quisermos colocar no nosso bar da fábrica algo diferente, vamos produzir e oferecer para o cliente lá mesmo, de maneira sazonal”, adianta.

São avanços bastante comemorados pelo empresário.

“Estamos muito felizes. Aconteceu tudo muito rápido. Em apenas três anos construir uma fábrica desse tamanho é algo que muito nos orgulha. É a certeza de que vamos continuar levando qualidade para o cuiabano e agora para o brasileiro também”, projeta.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

AGRO

MT aumenta área plantada de soja, mas deve produzir menos

Por fim, a produção total para a próxima colheita ficou projetada em 39,48 milhões de toneladas para o estado.

Publicados

em

Sobre a produtividade, a estimativa foi estipulada em 58,62 saca/hectare, menos que 2021. FOTO - Exame/Alexis Prappas

A área aguardada de soja para a próxima temporada no estado de Mato Grosso (safra 2022/23) ficou projetada em 11,13 milhões de hectares, incremento de 2,55% em relação à safra 2021/22.

A ampliação inicial está pautada pela valorização do preço da oleaginosa, demanda aquecida e o momento de preços favoráveis dos subprodutos da soja, o que motivou alguns produtores a fazerem a conversão de áreas de pastagens para agricultura, principalmente em regiões onde a pecuária predomina — Nordeste, Noroeste e Norte.

A informação foi divulgada, nos últimos dias, pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA), no boletim semanal da soja. Sobre a produtividade, a estimativa foi estipulada em 58,62 saca/hectare, o que representa 1,26% abaixo em relação ao rendimento da safra 2021/22.

Apesar do recuo na estimativa, neste primeiro momento as projeções ficam limitadas,
devido a alguns pontos que podem impactar no decorrer da safra, como: condições climáticas e incertezas de investimento devido ao alto custo de produção.

Por fim, a produção total ficou projetada em 39,48 milhões de toneladas para o estado.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA