CUIABÁ

AGRO

Novo frigorífico será instalado em Pedra Preta

Publicados

AGRO

A região Sudeste do estado vai receber um novo empreendimento, mas precisamente no município de Pedra Preta, com a confirmação da instalação dessa nova indústria de produção de carne de peixe, o município que já opera uma planta frigorífica do grupo JBS, assume agora uma posição importante na economia de Mato Grosso, consolidando como pólo regional na produção de carne.

Após a liberação pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (SEMA- MT) – Unidade Desconcentrada de Rondonópolis (MT) das Licenças Prévia e a de Instalação do frigorifico de abate de peixes, o município deve iniciar os tramites legais para a licitação das obras do novo empreendimento.

Para o Diretor da Unidade Desconcentrada da Sema em Rondonópolis e Engenheiro Civil, José Olavo Pio, todas as medidas foram tomadas para que o meio ambiente não sofra nenhum impacto com o a instalação da indústria.

“Todos os estudos e análises de impacto ambiental da região foram ponderados, desde o básico que é o estudo do solo até o mais complexo, como os impactos das áreas ao redor da construção, todas os cuidados hidrológicos, geológicos e sanitários foram analisados, cumprindo todas as exigências legais para posterior liberação das licenças”, pontuou o Diretor da SEMA.

O desenvolvimento do projeto Estrutural, Ambiental, Industrial e de Irrigação foram feitos através de parceria desenvolvida entre a gestão municipal de Pedra Preta e a Associação dos Municípios de Mato Grosso – AMM.

Para o Prefeito de Pedra Preta Juvenal Pereira Brito, o Ná (MDB), o empreendimento será muito importante para o desenvolvimento industrial do município, visto que Pedra Preta possui 11 assentamentos, destes, 4 possuem características bastante favoráveis para iniciar a produção de peixes.

Segundo o gestor municipal, os produtores que tiverem interesse em iniciar a produção de pescado, a prefeitura em parceria com a Empresa Mato-Grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural – Empaer pretendem capacitar e orientar os novos empreendedores, no sentido de melhorar sua infraestrutura, facilitando o desenvolvimento da piscicultura.

O prefeito anunciou que pretende anunciar o mais breve possível o primeiro Distrito Industrial do município, ação que vai fomentar a instalação de outras indústrias em Pedra Preta, potencializando a geração de empregos, alavancando a economia da região.

NÚMEROS DO EMPREENDIMENTO

EMPREGOS – Inicialmente haverá a geração de 100 empregos diretos e indiretos.

PRINCIPAIS PRODUTOS – Serão produzidos três produtos, o Peixe Inteiro Congelado, Filetes Congelados e Postas Congeladas.

CAPACIDADE DE PRODUÇÃO – O frigorifico terá capacidade de processar 1000 quilos de pescado por dia.

LOCALIZAÇÃO E DIMENSÃO DA FÁBRICA – O empreendimento será construído na BR 364 KM 178. Serão 340 m2, contemplando a área administrativa e de operação.

PRÓXIMAS ETAPAS

A Caixa Econômica Federal é a instituição financeira responsável pela liberação dos recursos federais, fruto do trabalho do senador Wellington Fagundes (PL – MT), o banco já recebeu a documentação da SEMA, de posse do projeto e das licenças, o próximo passo é a liberação do projeto para o município licitar as obras.

Caso todos os prazos sejam cumpridos, logo após o término das obras, a SEMA volta a cena para vistoriar e emitir a Licença de Operação,  estando em conformidade com todas as normas legais, a indústria está apta a iniciar a produção.

 

Fonte: Cláudia Santos / MINUTOMT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
2 Comentários

2 Comments

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

AGRO

MT aumenta área plantada de soja, mas deve produzir menos

Por fim, a produção total para a próxima colheita ficou projetada em 39,48 milhões de toneladas para o estado.

Publicados

em

Sobre a produtividade, a estimativa foi estipulada em 58,62 saca/hectare, menos que 2021. FOTO - Exame/Alexis Prappas

A área aguardada de soja para a próxima temporada no estado de Mato Grosso (safra 2022/23) ficou projetada em 11,13 milhões de hectares, incremento de 2,55% em relação à safra 2021/22.

A ampliação inicial está pautada pela valorização do preço da oleaginosa, demanda aquecida e o momento de preços favoráveis dos subprodutos da soja, o que motivou alguns produtores a fazerem a conversão de áreas de pastagens para agricultura, principalmente em regiões onde a pecuária predomina — Nordeste, Noroeste e Norte.

A informação foi divulgada, nos últimos dias, pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA), no boletim semanal da soja. Sobre a produtividade, a estimativa foi estipulada em 58,62 saca/hectare, o que representa 1,26% abaixo em relação ao rendimento da safra 2021/22.

Apesar do recuo na estimativa, neste primeiro momento as projeções ficam limitadas,
devido a alguns pontos que podem impactar no decorrer da safra, como: condições climáticas e incertezas de investimento devido ao alto custo de produção.

Por fim, a produção total ficou projetada em 39,48 milhões de toneladas para o estado.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA