CUIABÁ

LIMPA E ECONÔMICA

Cuiabá é a cidade que mais gera energia fotovoltaica no Brasil

Mais de 70% são microgeradores instalados em telhados, o que mostra a população tentando fugir dos altos custos com energia elétrica

Publicados

COTIDIANO

Uma guerra jurídica tem sido travada no estado, com o atual governador querendo tributar o sistema

Cuiabá é o primeiro município no ranking de produção de energia solar do país em um período de um ano. Segundo o levantamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), a capital tem 117 megawats instaladas que correspondem a 1,1% do total do Brasil.

Em segundo ficou Brasília com 106 megawats gerados e em terceiro Teresina, com 105 megawats. De acordo com o coordenador regional da Absoalr, Tiago Vianna, a procura pela instalação de sistemas fotovoltaicos tem sido muito grande por consumidores residenciais.

“Hoje de todo o volume, mais de 70% são microgeradores instalados em telhados. Isso mostra que há uma adesão da população que entende que o custo de energia vai ser sempre impactante. A gente consegue no nosso lar fazer o investimento e ter um planejamento estratégico para resolver o problema de energia. O custo do sistema fotovoltaico vem caindo durante os anos. No começo era mais o comércio e a indústria que procuravam, mas atualmente, são mais as residências”, disse.

Em Mato Grosso, o setor da energia solar se tornou um mercado promissor. O estado é a quarta unidade federativa em potência instalada. Mais de 10% de toda a energia consumida dentro do estado já vêm da energia solar.

Leia Também:  Piloto agrícola cai com avião e sobrevive no interior de MT

Em maio foram mais de 50 mil conexões operacionais em 141 municípios, o que significa que são mais de 53 mil consumidores que já contam com essa economia no bolso, além do menor impacto ambiental.

A tecnologia fotovoltaica representa um enorme potencial de geração de emprego e renda, atração de investimentos e colaboração no combate às mudanças climáticas.

O que mais chama atenção é a procura pela energia solar em residências. Em novos condomínios que estão sendo lançados, atualmente, muitos deles já incluem o sistema como item primário.

Guerra tributária 

Diante da oferta existente, uma discussão política/jurídica iniciou sobre a tributação ou não da energia gerada. O atual governador, Mauro Mendes (UB), é um entusiasta da cobrança de impostos e justifica que quem tem o sistema pode pagar, são pessoas ricas.

Dados oficiais mostram, contudo, que a maioria dos clientes do sistema são pessoas da classe média, que majoritariamente parcelam os custos do sistema em cinco anos.

Políticos contrários à medida atacam Mauro dizendo que o gestor “cobra imposto do sol”, fazendo referência a condição natural da energia em questão.

Leia Também:  Defensoria Pública de MT abre 20 vagas de quase R$ 25 mil

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso – ALMT votou um projeto inicial para proibir a cobrança e, na prática, foi ignorada pelo governador.

O caso ganhou atenção da Justiça, que deu ganho de causa aos que querem impedir a cobrança. Nos últimos dias, deputados estaduais de Mato Grosso aprovaram, o Projeto de Lei 897/2021, que deixa claro a indisponibilidade de incidir ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre o sistema fotovoltaico.

O autor da lei, deputado estadual Faissal Calil (Cidadania), explicou que é “impossível cobrar qualquer imposto, pois não há circulação de mercadoria e você está consumindo seu próprio produto”. O texto, contudo, ainda vai à sanção de Mauro, que tem insistido na constitucionalidade da cobrança do imposto e promete ir até as últimas consequências.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

COTIDIANO

Piloto agrícola cai com avião e sobrevive no interior de MT

A equipe médica avalia o quadro das queimaduras e não descarta transferência para o Centro de Tratamento de Queimados, em Cuiabá.

Publicados

em

Segundo amigos do piloto, o quadro dele é grave

Um piloto precisou ser encaminhado às pressas para o hospital, nesta terça-feira (5), após o avião agrícola que ele pilotava cair e pegar fogo.

O acidente aconteceu em uma propriedade rural localizada perto a divisa entre Lucas do Rio Verde e Ipiranga do Norte, a 455 km de Cuiabá.

O piloto foi socorrido por funcionários da fazenda e levado para um hospital de Lucas, a 360 km de Cuiabá, no médio-norte.

Segundo amigos do piloto, o quadro dele é grave, porém, estável. Ele passou por cirurgias e segue hospitalizado. Foi um dos funcionários da fazenda que registrou a queda e publicou em um grupo de aviadores.

A identidade do piloto ainda não foi divulgada. A equipe médica avalia o quadro das queimaduras sofridas pelo profissional e não descarta transferência para o Centro de Tratamento de Queimados, em Cuiabá.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Defensoria Pública de MT abre 20 vagas de quase R$ 25 mil
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA