CUIABÁ

PEGOU DE SURPRESA

Frio chega com mais força que o esperado e Cuiabá pode marcar 10°C

Os dados são do Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Publicados

COTIDIANO

Expectativa é que tanto na capital como em Chapada dos Guimarães, a quarta e a quinta sejam os dias mais frios do ano.

Os moradores de Cuiabá devem se preparar para uma queda brusca na temperatura nesta quarta-feira (4) com a mínima chegando a 10°C, nas primeiras horas da manhã.

Ainda segundo a previsão, Chapada dos Guimarães também deve enfrentar uma forte frente fria e os termômetros podem registrar mínima de 9°C.

Se a previsão se concretizar, é esperado que a próxima quarta e quinta-feira (5) sejam os dias mais frios de Cuiabá e Chapada desde o início do ano.

Os dados são do Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

O Instituto já havia alertado sobre uma queda de temperatura para o meio da semana. No entanto, a previsão inicial era que a mínima na Capital chegaria aos 17°C – agora é esperado uma queda de temperatura mais severa.

Apesar do frio, não deve chover nos próximos dias nas duas cidades.

Confira a previsão:

Após registrar a máxima de 35°C nesta terça-feira (3), a temperatura começou a cair em Cuiabá a tarde. Mas é na madrugada que os termômetros devem chegar a 10ºC.

Leia Também:  Cidade de MT registra geada durante a madrugada

No decorrer do dia, o clima deve esquentar na Capital, porém a temperatura continua amena, registrando máxima de 25°C.

O frio segue presente na quinta-feira (5), em que a mínima esperada é de 13°C. No entanto, o calor começa a retornar para a cidade durante a tarde, em que a máxima chega aos 28°C.

O calor retorna na sexta-feira (6), com máxima de 30°C. Neste dia a cidade amanhece com mínima de 16°C.

Sábado (7) e domingo (8) registram mínima de 19°C e máxima de 32°C.

Clima em Chapada

Conhecida por ter um clima mais fresco que Cuiabá, Chapada enfrenta um frio mais severo do que na Capital.

Nesta quarta-feira a mínima chega aos 9°C e a máxima não deve passar dos 23°C. A predominância do frio continua na quinta-feira e é esperado que a mínima chegue aos 11°C. A máxima será de 23°C novamente.

A temperatura volta a esquentar na sexta-feira, quando os termômetros marcam máxima de 26°C. No entanto, a cidade ainda amanhece com mínima de 12°C neste dia.

O clima ameno segue no fim de semana. No sábado e no domingo a mínima será de 15°C e a máxima sobe para 28°C.

Leia Também:  Concessionária já arrecadou quase R$ 3 bilhões na BR-163 em MT

Em boa parte do interior, a toada deve seguir a mesma. Confira em detalhes aqui… 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

COTIDIANO

Concessionária já arrecadou quase R$ 3 bilhões na BR-163 em MT

A Rota do Oeste alega dificuldades financeiras para continuar cuidando da estrada e, por isso, não pôde realizar sequer as manutenções

Publicados

em

Empresa já aceitou realizar a devolução amigável do contrato, todavia, ainda segue cobrando pedágio.

A concessionária que administra a BR-163, onde ocorreu o acidente que matou oito pessoas, nesta semana, já arrecadou R$ 2,9 bilhões em pedágio desde o início do funcionamento das praças, em setembro de 2015, até abril deste ano.

Quando o contrato foi firmado entre o Governo Federal, ainda na gestão de Dilma Rousseff (PT), com a Rota do Oeste, subsidiária do Grupo Odebrecht, ficou estabelecido um investimento para todas as frentes de R$ 4,6 bilhões, sendo R$ 2,3 bilhões somente para a duplicação, o que ainda não ocorreu.

Um trecho de 453 km que corta Mato Grosso já deveria ter sido duplicado, conforme previsto em contratos. Até agora, todavia, a duplicação foi feita em apenas 120 km, já que o restante do trajeto entre Rondonópolis e Cuiabá quem fez foi o Departamento Nacional de Infraestrutura – DNIT.

Outros 328 km que já possuem o término das obras com prazo esgotado, de Cuiabá sentido Sinop-MT, não tem qualquer perspectiva de ganharem a duplicação. As obras de infraestrutura estão paradas desde 2016, o que causou um cenário de prejuízo ao usuário e empresas de transporte que trafegam pela região.

A Rota do Oeste alega dificuldades financeiras para continuar cuidando da estrada e, por isso, não pôde realizar sequer as manutenções necessárias para atender o fluxo de veículos na pista. “A duplicação foi interrompida após a conclusão de 120 km no sul do estado, por diversos motivos alheios à vontade da Rota do Oeste. Entre eles citamos principalmente a não concessão do financiamento público conforme previsto, aumento jamais visto nos insumos derivados do petróleo (asfalto e combustíveis) e a queda na projeção de tráfego devido aos maus momentos econômicos do país, entre outros”, diz.

Leia Também:  Incêndio atinge hospital e pacientes precisam ser retirados às pressas

De acordo com a empresa, desde o início da assinatura do contrato, em março de 2014, até abril de 2022, foi investido R$ 3,5 bilhões, considerando investimento em obras, recuperação do pavimento, atendimento operacional e pagamento de imposto a 19 municípios. A concessionária diz ainda que todo o valor arrecadado em pedágio foi integralmente revertido para a manutenção dos 850 quilômetros sob concessão.

O Ministério de Infraestrutura informou que, em 1º de abril deste ano, assinou um contrato com a empresa Via Brasil, em que garantiu R$ 1,76 bilhão em investimentos pelos próximos 10 anos em trechos da BR-163. As melhorias estão previstas para ocorrerem em até cinco anos após a concessão.

A proposta também prevê a construção de 42,87 quilômetros de faixas, 30 km de vias marginais, oito dispositivos de interconexão em desnível, sete passarelas de pedestres e implantação de 340 km de acostamentos. A tragédia da batida entre o ônibus e a carreta repercutiu no meio político e alguns cobram a imediata solução do caso.

A bancada federal, composta por deputados federais e senadores, marcou uma reunião com o presidente, Jair Bolsonaro (PL), para tentar achar uma solução para o impasse, que revolta os mato-grossenses não só pelos prejuízos financeiros como pelas vidas perdidas.

Leia Também:  Cidade de MT registra geada durante a madrugada

A Rota do Oeste ganhou o certame da BR-163 em 2014. Havia um prazo de 30 anos para cumprir com as melhorias na estrada, mas a empresa não cumpriu os prazos e, no final do ano passado, ela mesmo protocolou um pedido de devolução da responsabilidade sobre a rodovia, todavia, segue explorando o trecho e cobrando pedágio.

O Ministério da Infraestrutura aceitou, no começo deste mês, a devolução amigável. O novo edital deve ser publicado somente após aprovação de um decreto presidencial. Em seguida, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) irá abrir o leilão para escolher uma nova empresa a fim de administrar a rodovia.

Devido à devolução, alguns trechos estão passando por um processo de “relicitação”, segundo a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Um processo como esse pode levar até dois anos. Nesse meio tempo, a concessionária assina um termo aditivo e assume novas obrigações, como manutenção e suporte aos usuários.

Em fevereiro deste ano, o prefeito de Sorriso, Ari Lafin, (PSDB), anunciou, por meio do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Econômico Social e Ambiental (Cidesa), que pretende assumir a administração de parte da BR-163 para concluir a duplicação da rodovia.

O consórcio, formado por 15 municípios, quer realizar uma fusão entre os municípios, em parceria com entidades organizadas, produtores rurais e a iniciativa privada para dar andamento às obras na estrada.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA