CUIABÁ

PRECONCEITO VERMELHO

Áudio expõe Rosa Neide articulando saída de Tigresa com Gleisi

No áudio, Rosa Neide conclama os correligionários a discutir a “questão antes que seja tarde demais”, temendo efeitos negativos da filiação

Publicados

ESPIA AÍ

Em nota, a deputada federal não negou que tenha assumido protagonismo interno para derrubar a filiação da jovem atriz pornô

Em áudio a um grupo de militantes do Partido dos Trabalhadores (PT), a deputada federal, Rosa Neide Sandes, considerada a principal liderança da sigla em Mato Grosso, foi contra todo o discurso de inclusão da esquerda, e teria articulado, junto de Gleisi Hoffmann (PT), uma operação interna para barrar “a moça recém-filiada ao PT”.

O alvo da insatisfação da parlamentar seria a atriz pornô Esther Caroline Perralto, conhecida como Tigresa Vip, que recentemente ingressou na sigla e foi excluída das fileiras da legenda, sobretudo após seu nome virar notícia nacional como pré-candidata a deputada estadual.

No áudio, Rosa Neide conclama os correligionários a discutir a “questão antes que seja tarde demais”. A própria parlamentar diz que encaminhou à direção nacional do PT um vídeo da moça, assim como um texto próprio, alertando sobre os riscos da situação.

“A partir de segunda, o diretório nacional há de analisar, o que nós aqui estamos a enfrentar. Quero comunicar a todos,  que eu fiz o comunicado porque se é para fazer campanha política sendo chacota para o país, não estou disposta”, esclarece a parlamentar.

Leia Também:  Pátio e Mauro se revoltam com ações de socorro econômico de Bolsonaro

Rosa Neide é o principal nome da sigla para encabeçar a disputa para a Câmara Federal, além de ter uma longa história de militância na agremiação. “Então já enviei para a presidenta ( líder nacional do PT, Gleisi Hoffmann) e espero que na segunda-feira o deputado Valdir Barranco e o restante da Executiva possam fazer uma reunião e discutir esta questão, antes que seja tarde demais”, fala a deputada.

Não se sabe a data que o áudio foi postado para a militância, mas o aparente contexto demonstra ter sido dias após a filiação de Tigresa. Recentemente, o presidente da sigla, deputado estadual, Valdir Barranco, justificou a saída da jovem por uma “falha burocrática no processo de filiação”.

Os advogados Julier Sebastião da Silva e Paulo Lemos fazem a defesa da atriz para que ela possa disputar a eleição deste ano pelo partido. Outro que se manifestou em defesa da representatividade que a Tigresa traria à sigla foi o atual deputado estadual, Lúdio Cabral (PT). Aliados de Rosa Neide e de Barranco temiam que a moça agrega-se a força do voto de protesto e acabasse se tornando um “Tiririca” mato-grossense, tirando a vaga de outro “companheiro”.

Leia Também:  Bem nas pesquisas, Mauro não admite que apoio de Bolsonaro influencia

Sobre o famigerado áudio, Rosa enviou nota à imprensa na qual não negou os fatos relatados, não citou o caso específico de Tigresa e preferiu ir em uma linha institucional, ressaltando seu histórico dentro do partido, como quem visivelmente quer fugir do assunto.

Nota da deputada Rosa Neide

O PT é um partido vivo, dinâmico, plural, de debate livre, intenso e transparente pautado no seu Manifesto de Fundação, no Estatuto e nas Resoluções de suas instâncias, orientadoras de sua presença na vida do país em cada momento histórico.

A deputada federal Professora Rosa Neide (PT) reafirma seu compromisso ético e democrático com o Partido dos Trabalhadores e das Trabalhadoras. Rosa Neide é filiada ao PT há 40 anos. Nunca deixou o partido nem desrespeitou qualquer de suas decisões.

Seu compromisso de trabalho com o povo mato-grossense e brasileiro e sua luta para reconstruir e transformar o Brasil seguem inabaláveis.

Deputada Federal Professora Rosa Neide (PT-MT)

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ESPIA AÍ

Bem nas pesquisas, Mauro não admite que apoio de Bolsonaro influencia

Na última pesquisa realizada pelo instituto PercentBrasil, Mendes venceria em primeiro turno, com 62,5% dos votos válidos.

Publicados

em

Governador se irritou com fala de bolsonarista que sua consolidação em pesquisas tinha relação com anúncio de apoio do presidente

Mesmo depois de um anúncio público do presidente, Jair Bolsonaro (PL), que ignorou as tantas críticas que recebeu e colocou seu prestígio a favor de Mauro Mendes (UB), que tenta reeleição, o governador não admite que a força eleitoral do mandatário nacional tenha qualquer influência nos seus bons números em pesquisas de intenção de voto.

Vaidoso, Mauro sustenta que os seus projetados mais de 60% de prováveis votos válidos, que surgiu na amostragem, e toda boa avaliação da população à sua gestão são frutos do trabalho que tem feito desde 2019 e chegou a mostrar até visivel irritação, quando questionado no fim de semana sobre isso.

A declaração do governador ocorreu devido a uma fala do deputado estadual, Gilberto Cattani (PL), que afirmou que Mendes e o senador Wellington Fagundes (PL) só estavam favoritos nas pesquisas por causa do presidente Jair Bolsonaro (PL), que adiantou apoio aos dois. Para Mauro, não teve peso.

“Nossa administração foi conhecida em cima de trabalho e de resultados, se alguém desconhece isso é porque não vive em Mato Grosso, não conhece os números do nosso estado”, afirmou.

Leia Também:  Bem nas pesquisas, Mauro não admite que apoio de Bolsonaro influencia

Na última pesquisa realizada pelo instituto PercentBrasil, Mendes venceria em primeiro turno, com 62,5% dos votos válidos. A pesquisa foi realizada entre os dias 01 e 06 de junho e foram entrevistados 812 pessoas por telefone.

O governador disse que os números são um reflexo dos investimentos feitos em Mato Grosso que, segundo ele, inclui todas as áreas do serviço público.“Se nós estamos bem nas pesquisas não é devido à A, B ou C e sim tudo aquilo que o governo fez. Somos o estado que mais investe”, disse.

Críticas a Bolsonaro

A aparente “certeza de vitória”, já materializada por um dos seus principais aliados, o ex-senador Cidinho Santos, que desdenhou e indicou que Mauro não precisaria de Bolsonaro pra se reeleger, tem dado ao governador uma postura de quase opositor ao criticar abertamente as ações de Bolsonaro, tanto para limitar o ICMS (imposto estadual), como para conceder um voucher de R$ 1.000,00 para caminhoneiros, como para elevar o Auxílio-Brasil (antigo Bolsa Família) a R$ 600,00 dentre outros benefícios.

Leia Também:  Pátio e Mauro se revoltam com ações de socorro econômico de Bolsonaro

Sem citar diretamente Bolsonaro, Mauro criticou o Congresso Nacional por ter validado as propostas do Governo Federal e disse que entendia o pacote de socorro econômico como “medida eleitoreira”, “papagaiada” e ação de quem só está pensando em ganhar “votinho”. Para muitos bolsonaristas, a aproximação de Mauro nos primeiros meses do ano, sinalizando a aliança ao presidente, foi uma estratégia do governador para não deixar crescer um projeto robusto de oposição com apoio do presidente, o que fatalmente lhe tiraria do cargo.

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA