CUIABÁ

OITO MORTOS

Deputado lança polêmica e culpa PT por tragédia com ônibus em MT

Parlamentar citou o famigerado contrato de concessão com a Odebrecht, que previa que o trecho do acidente já deveria ter duplicação

Publicados

ESPIA AÍ

Medeiros comparou a Rota do Oeste como um mau inquilino que "não sai nunca"

Para o deputado federal, José Medeiros (PL), o “Mato Grosso paga caro pela corrupção que houve no Governo do PT”, que ainda segue “matando” muita gente até hoje. O parlamentar se referiu a tragédia envolvendo um ônibus da empresa Itamarati e uma carreta Volvo, que ocorreu no início da tarde da última terça-feira (17), entre os municípios de Sinop e Sorriso, na BR-163, ceifando a vida de oito pessoas e deixando diversos feridos.

Medeiros usou a tribuna da Câmara Federal na última quinta-feira (19) para disparar contra o Governo do PT, especificamente na época da ex-presidente Dilma Rousseff, quando a então chefe do Executivo Federal fez o famigerado contrato de concessão com a Odebrecht para a empresa administrar a BR-163, em Mato Grosso. Atualmente a empresa segue cobrando pedágio, já recolheu mais de R$ 3 bilhões e não duplicou o trecho.

Ao lembrar o acidente desta semana, envolvendo um ônibus e uma carreta, em que oito pessoas morreram, Medeiros citou que no contrato esse trecho de concessão seria duplicado, mas o serviço não foi realizado até o presente momento e nem deve, já que a Rota do Oeste está prestes a entregar definitivamente a concessão. “Esse é o resultado da corrupção que houve. É uma concessão maldita. É um inquilino que não sai nunca”.

Leia Também:  Fábio Garcia e Mauro Mendes mentem na imprensa em ano eleitoral

“Já foram os cinco anos, já se passaram dez anos, o contrato venceu, caducou a concessão, não foi feita a duplicação. Eles [concessionária] estão cobrando pedágio e não estão dando manutenção e as mortes se acumulam. Então esse é o resultado da corrupção que houve no governo do PT”, disparou Medeiros.

O deputado mato-grossense também não perdeu tempo em alfinetar o ex-presidente Lula (PT), a quem se referiu várias vezes como “aquele moço que se casou ontem”, tendo em vista que o petista contraiu matrimônio na tarde desta quinta-feira (19), em São Paulo, com a socióloga Rosângela Silva, mais conhecida como ‘Janja’.

“A gente vê o moço [Lula] se casando ontem e sapateando na frente dos brasileiros. Aliás, esse povo faz comício em velório de neto, em velório de irmão, esposa e faz até em casamento, enquanto os brasileiros morrem com o legado que esse governo [PT] que ficou”, cutucou Medeiros.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ESPIA AÍ

Emanuel cutuca Michelly e marido, por repasse a reality de Jajah

Pinheiro ironizou Michelly e disse acreditar que a vereadora está revoltada com tamanho descaso com recursos públicos

Publicados

em

Prefeito enfatizou que Secretaria de Cultura, comandada por Jefferson Neves, foi a responsável por envio de dinheiro que bancou "Casa Digital"

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), não perdeu a oportunidade e cutucou, em sua live semanal, o secretário de cultura estadual, Jefferson Neves, marido da vereadora, Michelly Alencar (UB), que faz oposição ferrenha ao seu governo no legislativo municipal.

O motivo da alfinetada do gestor são os R$ 450 mil, destinados pela pasta de Jefferson, ao famigerado reality show do ex-deputado estadual, Jajah Neves, com “influencers” mato-grossenses, em Várzea Grande.

Pinheiro ironizou Michelly e disse acreditar que a vereadora está revoltada com tamanho descaso com recursos públicos. “Deve ter se manifestado, acredito eu, indignada com este festival de horror, que até agora está se apresentando a farra com dinheiro público na Secretaria de Cultura do Estado”, comentou o prefeito.

A polêmica emenda de Eduardo Botelho (UB), repassada ao Governo do Estado, que conveniou e custeou a produção de Jajah virou notícia nacional. O UOL publicou que a “Casa Digital” confinaria dez pessoas concorrendo a um prêmio de R$ 25 mil.

De maneira estranha, o próprio Botelho veio a público criticar a si mesmo, dizendo que comprou “gato por lebre”. Segundo o parlamentar, a promessa lhe feito era que os potenciais turísticos e culturais de Mato Grosso seriam divulgados por todo país e até fora dele. Todavia, chama atenção a falta de cuidado do deputado em dar o “ok”, sobretudo pela cifra envolvida.

Leia Também:  Emanuel cutuca Michelly e marido, por repasse a reality de Jajah

Em ano eleitoral e pré-candidato à reeleição, Botelho já até acionou o Ministério Público Estadual – MPE e pediu que sua emenda seja investida e, se possível, o valor devolvido aos cofres públicos. Até mesmo a primeira-dama do estado, Virgínia Mendes, mostrou que não engoliu a justificativa do deputado, nas redes sociais.

Em suas redes sociais, Jajah também gravou vídeo e ressaltou que, embora tenha sido um reality, envolvendo premiação para o vencedor, e confinando um grupo de pessoas, não se tratou de um “BBB de Mato Grosso”.

 

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA