CUIABÁ

ESQUERDISTAS

PSB acalma os ânimos, mantém Max na liderança e filia "Pátio e cia"

O partido vem se inclinando cada vez mais à esquerda, nos últimos anos, tanto que por pouco quase aderiu à federação liderada pelo PT.

Publicados

ESPIA AÍ

Max e Pátio chegaram a trocar farpas nos bastidores pela liderança da sigla, mas acabaram se ajeitando

O PSB em Mato Grosso definiu, neste domingo (27), a manutenção do deputado estadual Max Russi como presidente da sigla. Além disso, no evento, filiou uma série de nomes relevantes, visando as eleições deste ano.

Entre os principais nomes que marcaram entrada no PSB estão o do prefeito de Rondonópolis, José Carlos do Pátio, o presidente da Câmara da mesma cidade, Roni Magnani, pré-candidato a deputado estadual, além da filha da ex-senadora Serys Slhessarenko, a médica Natasha Slhessarenko.

Ao todo, o partido recebeu 33 filiações de diversas regiões do estado. De Rondonópolis, juntamente com o prefeito e Roni vieram a esposa dele, Neuma de Moraes, que ensaia disputa à Câmara Federal, e o filho do casal, o jovem Carlos Araújo.

“Decisões políticas requerem coragem e foco. Nós estamos muito felizes por fazer parte do PSB, partido que prioriza as cidadãs e os cidadãos trabalhadores, aspecto determinante à nossa escolha”, disse Pátio.

De Cáceres, o partido recebeu o ex-prefeito e atual suplente de deputado estadual, Tulio Fontes, que declarou estar “voltando para casa”. Representando Tangará da Serra, a advogada Karen Rocha também assinou sua filiação, atendendo ao chamado do PSB Mulher.

Nomes de Cuiabá 

Leia Também:  Fábio Garcia e Mauro Mendes mentem na imprensa em ano eleitoral

Lideranças da capital mato-grossense também oficializaram, neste domingo, a escolha pelo PSB. “Nos identificamos com os ideais do partido que, claramente, prioriza as pessoas”, observou o vereador Sargento Joelson, que foi recebido juntamente com a médica Natasha Slhessarenko.

Outro que chegou foi o ex-secretário municipal Air Praieiro, o ouvidor da Defensoria Pública, Tuca Nogueira, o ex-secretário adjunto de Penitenciária e ex-diretor da Fundação Nova Chance, Emanuel Flores, e o líder comunitário Japão, da região do Praeirinho.

“Fico extremamente satisfeito em ver nosso partido se fortalecendo, alicerçado de forma equilibrada, sempre aberto ao diálogo. É uma honra presidir o PSB-MT e meu compromisso é permanecer me dedicando às políticas sociais, com o olhar voltado às necessidades de nossa população”, disse Max.

O deputado Eugênio de Paiva foi reconduzido à função de vice-presidente do PSB.

Sobre o PSB-MT

O Partido Socialista conta com quase 20 mil filiados, estando presente em todos os municípios mato-grossenses. O partido tem, atualmente, 15 prefeitos, nove vice-prefeitos, 143 vereadores e dois deputados estaduais.

O partido vem se inclinando cada vez mais à esquerda, nos últimos anos, tanto que por pouco quase aderiu à federação liderada pelo PT. Para as eleições, é quase certo que vá com Lula, inclusive com a chance de emplacar o vice, sendo este o ex-governador de São Paulo e recém-filiado, Geraldo Alckmin.

Leia Também:  Emanuel cutuca Michelly e marido, por repasse a reality de Jajah

No estado, a tendência é que apoie a reeleição de Mauro Mendes (UB).

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ESPIA AÍ

Emanuel cutuca Michelly e marido, por repasse a reality de Jajah

Pinheiro ironizou Michelly e disse acreditar que a vereadora está revoltada com tamanho descaso com recursos públicos

Publicados

em

Prefeito enfatizou que Secretaria de Cultura, comandada por Jefferson Neves, foi a responsável por envio de dinheiro que bancou "Casa Digital"

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), não perdeu a oportunidade e cutucou, em sua live semanal, o secretário de cultura estadual, Jefferson Neves, marido da vereadora, Michelly Alencar (UB), que faz oposição ferrenha ao seu governo no legislativo municipal.

O motivo da alfinetada do gestor são os R$ 450 mil, destinados pela pasta de Jefferson, ao famigerado reality show do ex-deputado estadual, Jajah Neves, com “influencers” mato-grossenses, em Várzea Grande.

Pinheiro ironizou Michelly e disse acreditar que a vereadora está revoltada com tamanho descaso com recursos públicos. “Deve ter se manifestado, acredito eu, indignada com este festival de horror, que até agora está se apresentando a farra com dinheiro público na Secretaria de Cultura do Estado”, comentou o prefeito.

A polêmica emenda de Eduardo Botelho (UB), repassada ao Governo do Estado, que conveniou e custeou a produção de Jajah virou notícia nacional. O UOL publicou que a “Casa Digital” confinaria dez pessoas concorrendo a um prêmio de R$ 25 mil.

De maneira estranha, o próprio Botelho veio a público criticar a si mesmo, dizendo que comprou “gato por lebre”. Segundo o parlamentar, a promessa lhe feito era que os potenciais turísticos e culturais de Mato Grosso seriam divulgados por todo país e até fora dele. Todavia, chama atenção a falta de cuidado do deputado em dar o “ok”, sobretudo pela cifra envolvida.

Leia Também:  Emanuel cutuca Michelly e marido, por repasse a reality de Jajah

Em ano eleitoral e pré-candidato à reeleição, Botelho já até acionou o Ministério Público Estadual – MPE e pediu que sua emenda seja investida e, se possível, o valor devolvido aos cofres públicos. Até mesmo a primeira-dama do estado, Virgínia Mendes, mostrou que não engoliu a justificativa do deputado, nas redes sociais.

Em suas redes sociais, Jajah também gravou vídeo e ressaltou que, embora tenha sido um reality, envolvendo premiação para o vencedor, e confinando um grupo de pessoas, não se tratou de um “BBB de Mato Grosso”.

 

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA