CUIABÁ

Geral

Comunidade StartUp explica como funciona modelo de negócio

Publicados

Geral

Membros se reuniram com diretor do Parque Tecnológico de Mato Grosso nessa semana

O coordenador do Parque Tecnológico de Mato Grosso, Rogério Nunes, recebeu nesta semana representantes da comunidade de startups de Mato Grosso para discutir as possibilidades que elas oferecem para a sociedade.

Ainda há muitas dúvidas sobre como esse modelo de negócio funciona e Rogério explica que a grande missão desses empreendedores é encontrar a solução para um problema. “É impossível falar sobre as características das startups sem mencionar a inovação. É esse o diferencial em relação ao mercado tradicional e que motiva o crescimento das que alcançam o sucesso”.

O propósito da comunidade Startup-MT é fortalecer o ecossistema, promovendo e apoiando ações na área e que ajudem novos empreendedores a tirar suas ideias do papel. Para quem se interessou sobre o assunto, os próprios membros da comunidade respondem os principais questionamentos sobre a área.

O que é startup?
Fernando Pscheidt (Setor Startup/SEBRAE): São empresas inovadoras com foco em atender a uma dor (problema) da sociedade ou segmento de mercado, atuando de forma enxuta e acelerada, em cenários de extrema incerteza. O objetivo de uma startup é sempre fazer algo que foge do comum e pode assegurar bom lucro em espaços de tempo mais curtos do que o esperado em ciclos de desenvolvimento de outros tipos de negócio.

O que é necessário para começar uma startup?
Carlos Magno (Comunidade Roncador Valley): Uma visão empreendedora com capacidade de reconhecer uma oportunidade para resolver um problema real em um grande mercado e um tempo diverso e complementar capaz de tornar isso possível.

Quais as principais características de uma startup?
Caroline Vaez (Comunidade StartupMT): Tecnologia na solução, ser repetível (capaz de entregar repetidamente o mesmo produto ao mercado de maneira potencialmente ilimitada). Também é fundamental que seja escalável (capaz de crescer em receita sem que os custos de operação também cresçam). Além disso, ter flexibilidade, rapidez, adaptabilidade (funcionar em condições de extrema incerteza), e capacidade de abraçar os erros (não insistir nos erros, mas ver aprendizados e oportunidades neles).

Que tipo de empresa pode ser considerada uma startup?
Caroline Vaez (Comunidade StartupMT): Uma empresa inovadora com negócio escalável e repetível, que resolva alguma problema latente.

Carlos Magno (Comunidade Roncador Valley): Empresas cujo modelo de negócio seja capaz de levá-la um alto valor de mercado num curto espaço de tempo. No Brasil, por exemplo, o tempo necessário estimado hoje para se atingir US$ 1 bi é de cinco anos.

Qual é a sua opinião sobre as startups em Mato Grosso?
Caroline Vaez (Comunidade StartupMT): Comparando Mato Grosso a outras comunidades de startups brasileiras mais maduras como a ZeroOnze (SP), Startup SC (Florianópolis) e San Pedro Valley (Belo Horizonte/MG), ainda estamos engatinhando. De um último levantamento realizado em parceria com a Associação Brasileira de Startups (ABStartups) das 54 startups que temos em Cuiabá, 26 estão nas fases de ideação e validação, cinco na fase de tração, e só uma na fase de scaleup. Para um ecossistema novo não estamos mal. Ou seja, temos potenciais, o que nos faltam é um melhor envolvimento de comunidade.

Em quais segmentos o Estado precisa investir?
Caroline Vaez (Comunidade StartupMT): O Estado precisa incentivar não apenas criação de mais startups, mas melhorar condições para estabelecimento e escalabilidade de startups que impactem diretamente o setor principal mato-grossense que é o agronegócio. Mas, vejo também potencial em outros setores, como: Educação, IoT, blockchain, Telecom e Fintech.

Como funciona esse mercado no Brasil?
Fernando Pscheidt (Setor Startup/SEBRAE): Por ser um país grande, cada região tem suas particularidades. Os melhores exemplos são Minas Gerais e Santa Catarina, pois conseguiram criar ecossistemas favoráveis para este tipo de negócio. Cada instituição seja pública ou privada tem seu papel definido, cabendo às startups a força de vontade de ir atrás e fazer acontecer.

Como abrir uma startup sem ter muito capital?
Vitoriano Ferreiro (Comunidade StartupMT): Você ter uma startup, significa ser empreendedor, fazer acontecer, então basicamente você consegue começar trabalhando com seus sócios, cada um em sua casa ou nos finais de semana (tempo livre inicialmente), a famosa lenda das startups de garagem. Hoje com a disponibilidade de muitos serviços e informação na internet, você consegue sem sombras de dúvida iniciar uma startup com zero de recurso, bastando apenas ter vontade e comprometimento.

Quais dicas são indispensáveis para o sucesso?
Vitoriano Ferreiro (Comunidade StartupMT): Não existe uma fórmula para o sucesso, um passo de cada vez, e caso alguém diga que existe desconfie. O que temos são características que ajudam nesse caminho durante a startup, como dizem, você pula de um avião com a ideia de construir um paraquedas e precisa fazê-lo antes de aterrissar. O que vemos em pessoas, que participam de startups ou empresas inovadoras são traços de força de vontade, persistência, curiosidade em descobrir uma forma de resolver algo de forma nova, ou com outra visão, e de forma geral ser empreendedores, não importa onde estejam.

Qual a diferença de incubadoras e aceleradoras?
Carlos Magno (Comunidade Roncador Valley): Uma incubadora tem o objetivo de estruturar melhor uma ideia e o produto/serviço, além de oferecer capacitação empreendedora para melhor gestão do negócio. Neste modelo, normalmente não há participação societária (equity) nem aporte financeiro. Já a aceleradora dispõe de um montante de recurso em troca de uma porcentagem do negócio. O objetivo aqui é ajudar o crescimento acelerado da empresa e conectar os sócios com investidores para um novo round (rodada) de investimento ou mesmo fazer o “exit”, quando ocorre a venda da startup para uma outra empresa.

Quais as regras para desenvolver uma startup bem-sucedida?
Caroline Vaez (Comunidade StartupMT): Não há regras, uma das características mais importantes de empreendedores bem-sucedidos é a resiliência. Algumas startups estão construindo novos mercados, novas tecnologias e novas tendências, que podem levar tempo até se tornarem realidade. Os times que lidam bem com o fracasso, que estão preparados para adaptar sua estratégia e trabalhar incansavelmente, são os que provavelmente conseguirão construir grandes empresas.

Para mais informações clique AQUI

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Geral

Medeiros e Claudinei vão destinar emendas para a construção de nova Delegacia de Polícia em Brasnorte

Publicados

em

O deputado estadual Delegado Claudinei (UB) cumpriu agenda, em Brasnorte, no dia 11 de fevereiro, para verificar as principais demandas da cidade, juntamente com o deputado federal José Medeiros (Podemos). Eles foram recepcionados na sede da Prefeitura Municipal pelo prefeito Edelo Ferrari (DEM) e a vice-prefeita Roseli Borges de Araújo (PP) e na Câmara Municipal pelo vice-presidente, o vereador Cláudio Campos e demais parlamentares.

No início do encontro, o prefeito deu um panorama dos projetos previstos no município para atender a área de infraestrutura com os convênios a serem firmados junto ao governo estadual. Ele citou a instalação de aeroporto, revitalização e arborização de áreas urbanas, aquisição de maquinários, recuperação asfáltica com recursos próprios, implantação de usina solar, melhorias no hospital municipal, entre outros investimentos.

Delegacia

A principal demanda apresentada foi a precariedade da Delegacia da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso (PJC) do município, em que a Prefeitura Municipal, Câmara de Vereadores e a sociedade civil organizada uniram forças para poder construir uma nova sede para proporcionar um melhor ambiente de trabalho aos servidores e atendimento para a população.

“Parabenizo essa parceria da Prefeitura e Câmara de Vereadores e que não esperaram a iniciativa do Estado e tiveram a proatividade para buscar meios para a construção de uma nova Delegacia de Polícia junto com a sociedade civil organizada. A gente fica muito feliz em saber, ver que se preocupam com a sociedade e o benefício é para os moradores da cidade. E faço questão de somar e vou destinar R$ 300 mil das minhas emendas”, explanou Claudinei.

A gestão municipal concedeu o terreno para a nova delegacia, como, também, R$ 200 mil para a construção da obra. Os vereadores contribuíram com R$ 200 mil e Medeiros se comprometeu a contribuir com R$ 200 mil e o promotor de Justiça de Brasnorte, Alvaro Schiefler Fontes, ficou responsável em articular junto ao Ministério Público para buscar via Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), o restante do recurso que equivale o total de R$ 1,1 milhão.

Realidade

Desde que chegou em Brasnorte, o promotor conta que a cidade possuía juiz e promotor, mas não tinha delegado e nem defensor público. “O que acontece, graça à Deus, é a integração com o prefeito e vereadores e outras autoridades. Até abril no máximo, uma parte do problema estará resolvido com a chegada de um delegado. Desde que cheguei aqui, estamos lutando para trazer uma nova delegacia para cá. A gente quer prestar um serviço público de qualidade”, explica Schiefler.

Para o escrivão da PJC Antônio Carlos, a luta pela delegacia já dura dois anos. “Estamos atrás já há um bom tempo. Fizemos o projeto seguindo os padrões da PJC. Agora, está se tornando realidade. Agora, faço 20 anos na instituição, em março, e essa conquista é para a população. A prefeitura ajuda muito. O efetivo é muito pouco aqui”, comentou o policial.

Os vereadores Professor Genival, Dioclécio Alves de Lima – conhecido por “Manico” (PTB), Dr. Norberto Junior (DEM) e Roberto Marcelo (PSB), o presidente do Sindicato Rural de Brasnorte, Cleber José dos Santos Silva, e o presidente do Conseg de Brasnorte, Nelsi Deiss Barkert, acompanharam o encontro com os deputados.

Reivindicação – O deputado estadual Delegado Claudinei apresentou indicação de n.° n.º 2579/2021 para a Secretaria de Segurança de Mato Grosso para designar um Delegado Titular para atender a Delegacia de Polícia Judiciária Civil do município de Brasnorte.

Atualmente, estão em fase de formação na Academia de Polícia (Acadepol), em Cuiabá, 45 delegados que vão atender os municípios do interior de Mato Grosso, sendo que um deles vai atender Brasnorte, a partir do dia 23 de março deste ano.

COMENTE ABAIXO:

Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA