CUIABÁ

POLÍCIA

Pedófilo de 25 anos estuprava crianças e armazenava pornografia infantil em MT

Publicados

POLÍCIA

Um pedófilo de 25 anos foi preso pela Polícia Civil, na terça-feira (13), em em Sapezal (480 km a noroeste de Cuiabá), por estupro contra crianças e armazenamento de pornagrafia infantil.

Dois mandados judiciais, sendo um de prisão e de busca e apreensão foram cumpridos contra ele.

O pedófilo teve as ordens judiciais decretadas pela Justiça por envolvimento em crime de violência sexual cometido contra crianças e responderá por estupro de vulnerável e armazenamento de material pornográfico infantil.

As investigações iniciaram após a equipe da Polícia Civil de Sapezal receber denúncias de que ele estava abusando de crianças na casa dele.

Durante a apuração dos fatos, foi possível identificar o envolvimento dele com crime de pedofilia. O delegado Heberth Hugo Montenegro representou pela prisão e busca e apreensão contra o pedófilo, que foram deferidas pela Justiça.

Durante buscas na residência do investigado foram apreendidos pen drives, notebook e droga. No material apreendido foram localizados diversos vídeos relacionados a abusos sexuais contra crianças e adolescentes.

Ele foi conduzido à Delegacia de Sapezal, onde foi interrogado e após todas as providências de praxe, colocado à disposição da Justiça.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Duas cidades de MT surgem entre as 30 mais violentas do país
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

POLÍCIA

Namorada de agente morto por Pacolla desmente versão de vereador

A mulher nega que uma mulher estaria sendo ameaçada pelo agente e diz que a arma do namorado estava na cintura

Publicados

em

Segunda a namorada, ela fez um vídeo do namorado morto com a arma na cintura

Ao contrário do que foi relatado pelo vereador e tenente coronel da Polícia Militar de Mato Grosso, Marcos Paccola (REPUBLICANOS) e pelo boletim de ocorrência do caso, a namorada de Alexandre Miyagawa, 41, agente penal do Complexo Pomeri, mais conhecido como ‘Japão’, negou, neste sábado (2), que ele a tivesse ameaçado.

Segundo ela, o agente não estava com a arma na mão e sim na cintura, diferente da versão do vereador. Ele foi morto por um tiro de Paccola, que alegou legítima defesa, na Avenida Arthur Bernardes, atrás do restaurante Choppão. “Estão falando que o Paccola atirou no Alexandre porque estava defendendo uma mulher que estava sendo ameaçada. Que mulher é essa? a mulher sou eu?”, questionou Janaina Sá, em suas redes sociais.

Segundo a mulher, ela entrou na contramão porque parou para ir ao banheiro. “Eu desci para fazer xixi, desci na rua contramão um pedaço, e um cara começou a me xingar: “Louca, parou na contramão”, eu peguei e falei, “e daí, entrei na contramão”.

Leia Também:  Taxista consegue escapar de assalto com faca no pescoço em MT

“Eu fui fazer xixi na distribuidora e saí andando rápido. E o Alexandre tem mania de andar com a mão na camisa. mania de policial, não sei, tipo fazendo guarda. E ele estava atrás e falou “amor, espera”. E de repente eu só vi ele caindo no chão. O tiro podia pegar em mim, porque eu senti”, falou a namorada, com a voz embargada.

“Porque esse cara atirou? Porque ele estava armado, porque ele atirou? Porque eu entrei na contramão, porque ele saiu com a mão na cintura? Ele não estava com a arma [na mão], era o celular. Eu fiz um vídeo, a arma estava nele. Tiraram até a arma dele. Ele estava com o celular, porque estava o corpo, o celular e a carteira caída no chão. Não é nada disso que estão falando, não teve agressão”, completou.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA