CUIABÁ

QUASE 13 MIL QUILOS

PRF de MT é "campeã nacional" na apreensão de cocaína em 2021

No Brasil, em 2021 a PRF apreendeu mais de 40 mil quilos de cocaína, com Mato Grosso ocupando o primeiro lugar ao passar de 12 mil.

Publicados

POLÍCIA

Estimativas apontam para um prejuízo ao narcotráfico de mais de R$ 2 bilhões, só em MT

Mato Grosso foi o estado que apresentou o maior número de apreensão de cocaína nas estradas em 2021. Conforme dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF), foram 12,8 mil quilos da droga apreendidos. Os dados constam na edição do anuário de atuação da PRF em 2021, divulgado nesta semana.

O grande volume de apreensão de cocaína no estado é mais que o dobro do segundo colocado, o estado de Mato Grosso do Sul, que registrou 5,2 mil kg apreendidos em 2021. Em terceira lugar, está Goiás, onde foram apreendidos 3,6 mil kg da droga.

O Paraná foi o quarto estado com o maior número de apreensão de cocaína, com 3,2 mil kg. Já em quinto lugar está Minas Gerais (2,5 mil kg). Segundo a PRF, MT é uma rota de escoamento das grandes safras produzidas, e os criminosos utilizam destes modais para tentar transportar as drogas.

Dados nacionais

No Brasil, em 2021 a PRF apreendeu 40.094,539 kg de cocaína. Mato Grosso ocupou o primeiro lugar com o maior número de apreensão seguido de Mato Grosso do Sul, Goiás, Paraná e Minas Gerais. Foram apreendidos 37.221 compridos de cocaína; 1,7 mil kg de crack e 585,8 mil kg de maconha.

Leia Também:  Namorada de agente morto por Pacolla desmente versão de vereador

Prejuízos financeiros 

Os números são tão expressivos que é até impossível determinar de maneira exata o prejuízo causado ao narcotráfico. Todavia, estimativas não-oficiais apontam para algo acima de R$ 2 bilhões que deixaram de entrar nos cofres dos grandes traficantes só com o montante apreendido em Mato Grosso.

Com os mais de 40 mil quilos de cocaína apreendidos em todo o Brasil, o rombo financeiro nas facções criminosas pode ter alcançado próximo de assustadores R$ 8 bilhões, um recorde nacional.

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍCIA

“Pai” é suspeito de auxiliar no aborto do filho em MT e jogar feto em lixeira

O suspeito foi autuado em flagrante, inicialmente, pelo crime de aborto, mas a perícia pode apontar novos rumos para o caso

Publicados

em

A mulher de 42 anos, que abortou, segue com quadro hemorrágico e internada. Policia investiga seu consentimento ou não com a morte e descarte da criança.

Um homem, suspeito de auxiliar ou induzir o aborto do próprio foi preso, hoje (5), em Lucas do Rio Verde (333,2 Km). O caso chegou ao conhecimento da Polícia Civil após a comunicação feita pelo hospital São Lucas, onde uma mulher de 42 anos chegou em estado gravíssimo, após ser socorrida pela guarda municipal.

Na unidade médica, foi constatado que ela havia sofrido um aborto. De acordo com o delegado Eugênio Rudy, a médica que fez o atendimento questionou o marido da mulher sobre o local onde estaria o feto. Inicialmente, o suspeito disse que não havia bebê, porém, após insistência da médica, acabou revelando que o feto havia sido jogado em uma lixeira.

“A médica determinou que ele fosse até o local onde tinha deixado a criança. Ele foi, pegou o corpo da criança e levou para o hospital. Ou seja, foi o próprio autor quem levou até o hospital o corpo dessa criança”, afirmou o delegado.

Inicialmente, o homem disse em depoimento que não sabia que a mulher estava grávida e nega qualquer auxílio ou indução ao aborto. “Ele negou, mas a fala dele não nos convenceu. Existem lacunas que demonstram indícios de que ele auxiliou ou provocou esse aborto, provavelmente, com consentimento da gestante. Essa é a nossa primeira tese”, comentou o Eugênio.

Leia Também:  Ajudar em investigação policial pode render até R$ 50 mil em MT

Segundo o delegado, algumas testemunhas foram ouvidas e a Polícia Civil não descarta a hipótese de que a criança tenha sido colocada ainda com vida em uma sacola plástica e deixada na lixeira. “Foi possível extrair que, quando foi colocada na sacola, ela se mexeu. Houve movimentos por parte desta criança. O que nos leva a crer que estava viva. Isso sendo comprovado pela perícia, sairemos de aborto, que é o crime que estou imputando nesse momento, para o crime de homicídio”.

O delegado ainda lamentou a situação e destacou que se trata de um fato gravíssimo. “É uma investigação que a gente não queria fazer porque mexe com a gente. Estamos consternados. Não é fácil investigar essa situação”.

O suspeito foi levado para a delegacia municipal e autuado em flagrante, inicialmente, pelo crime de aborto. Em seguida, passará por audiência de custódia, que definirá se responderá ou não em liberdade. A mulher segue internada com hemorragia no hospital São Lucas. Segundo a Polícia Civil, não há registros de violência doméstica entre o casal.

Leia Também:  Namorada de agente morto por Pacolla desmente versão de vereador

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA