CUIABÁ

PALAVRA DE CACIQUE

Bezerra rasga elogios a Thiago Silva: "é nosso sucessor"

Em encontro com pequenos produtores rurais, Bezerra citou que Thiago merece ser reeleito e, no futuro, elevado a cargos ainda maiores

Publicados

POLÍTICA

Veterano e jovem têm cumprido agendas juntos e demonstram que o boato de relação estremecida não condiz com a verdade

A tese de que a relação entre o veterano líder partidário, Carlos Bezerra (MDB), e o jovem deputado estadual, Thiago Silva (MDB) – tido como o pupilo do parlamentar federal – estaria estremecida, caiu por terra, neste sábado (11), em reunião ampliada com pequenos produtores rurais na comunidade rural da Gleba Cascata, em Rondonópolis.

Após reafirmar sua pré-candidatura à reeleição e, novamente, expor a consciência da sua importância para manter a unidade do partido, que possui grupos políticos internos distintos, Bezerra enalteceu o crescimento político de Thiago e vê no rapaz um perfil de liderança capaz até de lhe suceder.

“É um companheiro e é o sucessor nosso na região e em Rondonópolis. É pré-candidato a deputado estadual e merece ser reconduzido pelo pessoal do sul e do estado todo, hoje tem voto no estado todo. Na Assembleia realiza um trabalho magnífico, respeitado dentro da Assembleia e respeitado pelo povo”, citou Bezerra.

O Cacique cita orgulhoso a formação política de Thiago, cria da militância emedebista. “Ele foca exatamente nas demandas do “povão”, em cada ponto desse, de alcance social, mostra visão social. É um nome que a gente tem de preservar e talvez fazer ele crescer mais ainda no futuro, em outras jornadas que virão”, enfatizou.

Leia Também:  Beijo gay em apresentação artística cria polêmica no interior de MT

Silva é filiado e milita no MDB desde a adolescência e ficou marcado como o maior nome da vinda de uma estrutura descentralizada da UNEMAT para Rondonópolis, dentre outras lutas que o alavancaram e impulsionaram até dois mandatos marcantes como vereador da maior cidade do interior.

“Ele (Thiago) nasceu na escolinha do MDB e aprendeu a fazer a verdadeira política, e não politicagem, que é sujeira e bandalheira. Foi eleito vereador duas vezes, cumpriu mandato excelente (sic), e depois se elegeu deputado estadual e vem fazendo um papel brilhante, um dos melhores da Assembleia Legislativa de Mato Grosso”, reiterou Bezerra, que acrescentou ver no rapaz, agora no mandato, a mesma pessoa que sempre encontrou, ainda bem mais jovem, nos encontros partidários pelo estado.

“É um menino de origem humilde e de família pobre. Tem um ditado popular que diz: se você quer conhecer um homem, dê poder a ele. Quem não presta, com poder se acaba. O Thiago, muito pelo contrário, ele não perdeu o rumo por causa do poder, não é vaidoso e nem orgulhoso. Seguiu a mesma trilha no mandato, fazendo mais bonito ainda como deputado estadual”, finalizou Carlos Bezerra.

Bezerra e Thiago, neste sábado (11), na Gleba Cascata

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA

CPI aponta improbidade e pede afastamento de secretária filha de prefeito

O relatório, finalizado nos últimos dias, enquadra Viviane em improbidade administrativa e agora segue para encaminhamento do MPE

Publicados

em

Viviane Orlato, filha do prefeito Nelson Orlato, de Pedra Preta, é acusada por quatro servidores de diversos abusos contra os trabalhadores.

O relatório de uma Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI, instaurada na Câmara Municipal de Pedra Preta, concluiu que são procedentes as denúncias que apontam assédio moral, por parte da secretária de saúde da cidade de Pedra Preta (240 KM de Cuiabá), Viviane Santana Orlato, filha do prefeito local, Nelson Orlato (PSB), contra servidores municipais.

O relatório, finalizado nos últimos dias, enquadra Viviane em improbidade administrativa. Instalada no início de fevereiro, a CPI teve como base o relato de quatro testemunhas que reforçaram  diversas ações, por parte da secretária, que extrapolaram qualquer limite do razoável dentro do relacionamento hierárquico.

Os denunciantes, que não são especificamente do mesmo posto de trabalho, registraram ainda um boletim de ocorrência onde citam diversas condutas de Viviane atentando contra sua lá dignidades psíquicas e, por reiterada vezes, expondo os trabalhadores a situações humilhantes e constrangedoras. No relatório da CPI, cita-se o artigo 140 do Código Penal, relacionando a filha do gestor municipal ao crime de injúria.

Leia Também:  Novo outdoor de ataque da direita em MT vira pauta nacional

Segundo o relator da CPI, o vereador João Marco Amorim (DC), a conclusão do inquérito parlamentar será encaminhado ao Ministério Público Estadual – MPE com a recomendação pelo afastamento imediato da chefe da pasta de saúde. “A comissão não tem o poder de afastar a secretária, por isso enviamos relatório ao Ministério Público e se a promotora tiver o mesmo entendimento que nós aí é competência do MP tomar a decisão”, ressaltou o parlamentar, que cumpriu a palavra de não deixar qualquer tipo de interferência política externa interferir nas oitivas e no trabalho de investigação legislativa.

O possível atentado de Viviane contra a saúde mental dos envolvidos, antes mesmo do relatório da CPI, também já foi materializado ao MPE. São citadas perseguições evidenciadas em remanejamentos administrativos de cargos, ligações fora de hora de trabalho, cobranças excessivas e feitas de maneira descontrolada, dentre outros exemplos.

Segundo o apurado pelo MINUTO MT, em meio às vítimas existem, pelo menos, dois casos de pessoas que precisaram de ajuda psiquiátrica e que tiveram de adotar tratamento medicamentoso contra ansiedade e síndrome do pânico, depois de episódios repetidos e traumáticos no ambiente de trabalho, envolvendo a secretária. Em um caso mais grave, uma servidora teria tentado suicídio.

Leia Também:  CPI aponta improbidade e pede afastamento de secretária filha de prefeito

Lei do Stalking

Criminalmente falando, caso as denúncias contra a secretária sejam confirmadas, ela poderá sofrer os efeitos punitivos da recente Lei 14.132, aprovada em 2021, conhecida como Lei do Stalking, que prevê como pena reclusão de seis meses até dois anos, além de multa.

O texto tipificou como crime no Código Penal o ato de “Perseguir alguém, reiteradamente e por qualquer meio, ameaçando-lhe a integridade física ou psicológica, restringindo-lhe a capacidade de locomoção ou, de qualquer forma, invadindo ou perturbando sua esfera de liberdade ou privacidade”.

Espaço aberto

A Administração Municipal de Pedra Preta, seja por meio de Viviane, do pai, Nelson Orlato, ou do corpo jurídico, ainda não se manifestou oficialmente sobre o ocorrido. O espaço segue aberto.

Filha do prefeito seria a razão de crises de síndrome do pânico e até de tentativa de suicídio entre os trabalhadores da área da saúde, a qual comanda

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA