CUIABÁ

EM DEFESA DA LIBERDADE

Bolsonaristas vão às ruas em Cuiabá e em várias cidades do interior

Lideranças como o deputado estadual, Gilberto Cattani (PL), Medeiros (PL) e o senador, Wellington Fagundes (PL) marcaram presença

Publicados

POLÍTICA

Um guindaste elevou uma grande bandeira com o rosto do atual presidente no centro da capital

Apoiadores do presidente da República Jair Bolsonaro (PL) realizaram na tarde deste domingo (1), em Cuiabá, e nas principais cidades do estado, diversos atos em defesa da liberdade, o respeito a Constituição e o apoio ao Governo Federal.

Petistas e demais militantes de esquerda atribuíram aos manifestos verde e amarelo, que foram registrados em todos os estados do país, como uma forma de afronta ao Supremo Tribunal Federal – STF, que condenou o deputado bolsonarista, Daniel Silveira (PTB).

O próprio Daniel, aliás, que foi alvo de uma graça presidencial que o livrou da cadeia e que agora deve travar guerra jurídica para poder se candidatar em 2022, participou de ato no Rio de Janeiro.

O presidente Jair Bolsonaro, por sua vez, marcou presença em Brasília, onde caiu “nos braços do povo”, que lotou o eixo monumental. Enquanto isso, Lula se reunia com militantes de esquerda em tradicional encontro do dia do trabalhador. A adesão, contudo, decepcionou.

Em Cuiabá, o manifesto começou às 15h na capital. O ato contou com a presença de um caminhão de som em frente ao tradicional restaurante Choppão. Logo depois, todos se concentraram na Praça 8 de Abril, às 16h.

Leia Também:  Pesquisa mostra Emanuelzinho e Medeiros na frente em Cuiabá e VG

Além da manifestação na Praça 8 de abril, uma carreata também foi realizada por apoiadores do presidente da República, que saíram do Centro Político Administrativo e foram de encontro aos manifestantes na região central de Cuiabá.

Vestindo roupas verde e amarela, muitos dos manifestantes carregavam faixas pedindo liberdade e apoio ao presidente Jair Bolsonaro. Dentre as várias lideranças presentes, estavam os deputados estaduais, Gilberto Cattani (PL), Elizeu Nascimento (PL), assim como o deputado federal José Medeiros (PL) e o senador, Wellington Fagundes (PL) compareceram ao ato.

“Foi uma manifestação para defender a liberdade. Estamos constantemente tendo direitos como o da livre expressão cerceados no nosso país. A nossa luta é por uma liberdade plena, em que a pessoa possa se expressar, ter o direito de ir e vir e de se defender. O povo da baixada cuiabana mostrou que defende esses valores e que apoia o presidente Bolsonaro”, disse Cattani.

Também ocorreram manifestações em Rondonópolis, Sinop, Sorriso, Lucas do Rio Verde, Alta Floresta, Primavera do Leste, Nova Mutum e outras cidades do interior.

Leia Também:  Laudo confirma que Riva não tem mais câncer e o obriga a pagar imposto

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA

Emanuelzinho quer R$ 20 mil de Abílio por postagem com sua foto

Ex-vereador fez post nas redes sociais sobre sua pré-candidatura a deputado federal e tentou reviver a “rivalidade” com a família Pinheiro

Publicados

em

Jovem parlamentar não gostou do uso de sua imagem e acionou a Justiça. FOTO - Ednilson Aguiar/OLivre

O deputado federal Emanuelzinho (MDB-MT) já entrou na Justiça contra o ex-vereador de Cuiabá, Abílio Jacques Brunini Moumer, o “Abilinho” (PL), por um post do ex-membro da Câmara de Vereadores da capital, no Instagram, neste início de semana, que utiliza sua imagem.

De acordo com o processo, Emanuelzinho pede a retirada da publicação (que já foi feita), uma retratação pública de Abilinho, além do pagamento de uma indenização de R$ 20 mil. Em seu pedido, o deputado federal, que é filho do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), aponta que Abilinho possui uma “rixa” com sua família.

O ex-vereador fazia oposição ao prefeito da capital e chegou a disputar o segundo turno das eleições de 2020, no entanto, acabou sendo derrotado por Pinheiro, que conseguiu se reeleger. “Tal imagem, retrata o autor em papel antagonista ao do réu, se valendo de uma rixa infundada que o réu possui com a família do autor e que demonstra o claro viés vexatório da aludida publicação, uma vez que incita o ódio por parte de seus correligionários para com a pessoa do autor”, diz o parlamentar no processo.

Leia Também:  Lula diz ser "amigo de Blairo Maggi", mas reforça olhar para pequenos

No post discutido nos autos, Abilinho aparece na frente da imagem, ressaltando sua pré-candidatura a deputado federal, e Emanuelzinho em segundo plano, em uma tentativa de criar a mesma “rivalidade” que teve com o pai do deputado federal, em busca de atrair holofotes.

A montagem sugere que o parlamentar seria um “alvo” do ex-vereador. “A imagem está sendo exposta sem o consentimento do autor, que em momento algum autorizou este tipo de publicação veiculada pelo réu com caráter degradante e ridicularizante”, reclama o parlamentar no processo.

O caso está sob análise do 2º Juizado Especial Cível de Cuiabá, que ainda não proferiu uma decisão sobre o assunto. O post no Instagram já foi apagado por Abilinho, que a um seguidor esclareceu em novo post, agora sozinho na imagem, que “sua esposa tinha achado a imagem muita feia”.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA