CUIABÁ

PÉ NA PORTA

Botelho detona ideia de trazer 163 para PPP estadual

“Tiraríamos dinheiro do Estado para colocar em um lugar que já surrupiaram dinheiro até enjoar…”, atacou o líder da ALMT

Publicados

POLÍTICA

Senador Wellington tem articulado proposta junto ao governador e irá na ANTT pra avançar

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, Eduardo Botelho (União Brasil), se disse contrário e criticou, de forma dura, a proposta de Parceria Público-Privada (PPP) para uma nova concessão da BR-163 repassada ao estado.

A possibilidade foi levada ao governador Mauro Mendes (União Brasil) pelos senadores Fábio Garcia (União Brasil) e Wellington Fagundes (PL), na última semana, sendo que Fagundes surge como seu grande entusiasta.

Wellington dará seguimento às tratativas com o Ministério da Infraestrutura e a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), em Brasília. Conforme a proposta, o Estado de Mato Grosso entraria com investimentos por meio da MTPar.

Para Botelho, porém, os recursos da autarquia deveriam ser investidos em áreas como a agricultura familiar. Atualmente, a rodovia está sob concessão da Rota do Oeste, que já anunciou a devolução da estrada para a tutela do Governo Federal.

“Não vi o modelo, temos que discutir. Mas o dinheiro da MT Par é para fazer incentivo dentro do Estado. A BR é responsabilidade da União, já arrecadaram bilhões ali e agora vem tirar o dinheiro do Estado que tem que fomentar a agricultura familiar… Eu não concordo”, disse Botelho, acrescentando termos mais pesados.

Leia Também:  Mauro ignora apelo ribeirinho e veta projeto de proteção ao Rio Cuiabá

“Tiraríamos dinheiro do Estado para colocar em um lugar que já surrupiaram dinheiro até enjoar… É uma rodovia altamente lucrativa e vamos colocar dinheiro lá? Não, desculpa senador Wellington, mas essa proposta está fora de sentido”, acrescentou.

Histórico

Wellington, aliás, foi um dos nomes à frente da articulação, ainda durante o Governo Dilma (PT), que concedeu os mais de 800 km da BR-163, da divisa do Mato Grosso do Sul até Sinop, para uma subsidiária da Odebrecht, envolvida em vários escândalos de desvio de dinheiro público na era petista.

A Rota da Oeste operou no estado desde março de 2014, arrecadou mais de R$ 3 bilhões em pedágio, segue cobrando e não executou a duplicação devida, alegando aumento dos custos dos derivados do petróleo para o serviço, bem como a negativa de um financiamento publico que usaria para as obras.

Nesta fase do contrato, já era pra empresa ter executado 453 km de asfalto, permitindo a duplicação, todavia, fez apenas 120 km. O contrato celebrado resguardou juridicamente a concessionária, que fez a novela se arrastar por anos, sem correr nenhum risco de parar de cobrar dos usuários da via.

Leia Também:  Beijo gay em apresentação artística cria polêmica no interior de MT
COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA

VEJA aponta Bolsonaro 15 pontos à frente de Lula em MT

Segundo média de pesquisas publicadas, o atual mandatário crava 47,7% da preferência no estado e o ex-presidente petista surge com 32,6%.

Publicados

em

Em nenhum outro estado analisado o presidente tem o índice de aprovação popular mais alto que Mato Grosso. A diferença em relação a Lula, porém, é maior no Acre

Levantamento da empresa de consultoria Vector Research, publicado no site da revista Veja, nesta semana, confirma o atual presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), absoluto em Mato Grosso.

O levantamento traçou um paralelo direto entre Bolsonaro e Lula (PT), seu principal adversário e com quem deve, de fato, disputar diretamente o maior cargo do país nas urnas, em 2022.

Os números confirmam a liderança bolsonaristas em Mato Grosso com 15 pontos percentuais de frente, com o atual mandatário cravando 47,7% da preferência e o ex-presidente petista surgindo com 32,6%.

Cenário geral

Embora em solo mato-grossense o índice de apoio bolsonarista seja o maior registrado, do ponto de vista de vantagem direta sobre Lula, ou seja, de diferença entre um e outro, o estado mais bolsonarista é o Acre.

Por lá, são mais de 18 pontos de frente do atual presidente. Enquanto Bolsonaro chega a ter 47,4% das intenções de voto, Lula surge com 29,1%.

Diferença similar ocorre, também, em Santa Catarina, onde Bolsonaro supera Lula por 45,1% a 29%. A liderança se mantém acima do patamar de 40% em Goiás, com 42,4% contra 32,1% do petista..

Leia Também:  CPI aponta improbidade e pede afastamento de secretária filha de prefeito

O MAIS PETISTA

Do outro lado dos números, o Piauí é onde Lula (PT) tem a maior vantagem sobre Jair Bolsonaro (PL), com mais de 46 pontos de diferença.

O ex-presidente tem 64,2% de preferência entre os eleitores do estado nordestino, enquanto o presidente que busca a reeleição marca 17,3%.

Apanhado geral

O mapa da disputa presidencial nos estados foi montado pela Vector Research a partir de uma análise média com pesquisas de 15 institutos, realizadas entre os dias 6 de maio e 29 de junho em 24 estados (exceto Amapá e Rondônia) e no Distrito Federal.

A empresa preferiu restringir a análise à dupla de atuais líderes nas sondagens.

Veja abaixo os índices comparativos entre os principais candidatos à Presidência da República por estado:

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA