CUIABÁ

AGRO

Deputado acompanhou a visita do Ministro no Terminal Ferroviário de Rondonópolis

Publicados

AGRO

Com a participação na audiência pública para tratar sobre a Ferrovia de Integração do Centro Oeste (Fico) que é promovida pela Comissão de Infraestrutura do Senado e Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), em Água Boa (MT), na última sexta-feira (14), o ministro de Infraestrutura, Tarcísio Freitas, visitou primeiramente Rondonópolis (MT) para conhecer o Terminal Ferroviário de Cargas que é conduzido pela operadora logística Rumo.

O deputado Delegado Claudinei (PSL) acompanhou a visita e reconheceu a importância da presença do ministro para conhecer as potencialidades existentes no município e como é realizado o transporte de cargas agrícolas para outras regiões com a operação ferroviária.

“Uma das principais atividades que favorece a economia de Rondonópolis é o ramo do agronegócio. O terminal ferroviário contribui bastante na exportação de produtos agrícolas. Hoje, tivemos a oportunidade de conhecer como é o processo de condução dos contêineres carregados e conduzidos através de vagões. Isso é muito importante para o setor produtivo de Mato grosso”, opina o parlamentar.

Em relação ao transporte ferroviário, o ministro de Infraestrutura conta que os investimentos por parte do governo federal para o estado de Mato Grosso é uma prioridade devido o potencial existente.

“Muitas coisas estão sendo planejadas. Existem os investimentos no próprio Estado e aqueles que vão beneficiar indiretamente. A gente vai fazer a Ferrovia de Integração Centro Oeste (Fico) que, a gente deve assinar o contrato este ano ainda. Existe uma quantidade de investimento muito grande que vai ser aportada no Estado nos próximos anos para que a gente justamente aproveite este potencial logístico e produtivo e viabilize a produção. O Estado tem que fazer a sua obrigação e proporcionar os meios de fazer com que os produtores continuem produzindo riquezas”, explica.

Leia Também:  Pesquisa mostra Emanuelzinho e Medeiros na frente em Cuiabá e VG

Para o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), o ministro ocupa uma das mais importantes pastas do Ministério do presidente da República, Jair Bolsonaro. “Para nós, em especial, o ministro tem mostrado grande conhecimento e capacidade técnica de compreender os desafios da pasta do ministério e acima de tudo, conhecimento do problema do nosso Estado. Todos nós, mato-grossenses, sabemos do potencial que este Estado tem e conhece também as enormes dificuldades que nós fomos capazes de vencer ao longo de tantos anos, fazendo aqui a mais competitiva na economia privada do agronegócio brasileiro e, talvez, do mundo”, destaca.

O prefeito de Rondonópolis, Zé do Pátio (SD), explica que o município praticamente se tornou uma referência nacional devido ser considerada um dos 100 municípios com maior Produto Interno Bruto (PIB). “É a cidade que mais exporta no Mato Grosso. Está entre as 40 cidades que mais exporta no país e a que mais importa no Mato Grosso também. Quero dizer da satisfação da presença do governador na cidade e da bancada federal”, posiciona o gestor municipal.

Leia Também:  Juca surge muito bem em pesquisa para a ALMT

Anel Viário

Na oportunidade que trata sobre a infraestrutura no estado de Mato Grosso, o governador Mauro Mendes esclareceu a situação do Anel Viário Conrado Salles Brito, que liga a rodovia BR-364 às MT-270 e MT-130, em Rondonópolis. Ele reconhece o nível de deterioração da malha viária que praticamente compromete toda a infraestrutura e à espera da população para solucionar a situação.

“Refazemos o projeto e lançamos o edital. Tínhamos uma previsão para o dia 27 de junho. Lamentavelmente, houve um equívoco técnico e foi descoberto, ainda bem que a tempo, isso já foi corrigido e a licitação foi suspensa e vai ser publicada novamente essa licitação. Vamos torcer para que nos trâmites legais possamos escolher uma boa empresa na ordem de serviço e o mais rápido possível este Anel Viário esteja à disposição da população”, explica.

 

Fonte: MinutoMT com Assessoria

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

AGRO

MT aumenta área plantada de soja, mas deve produzir menos

Por fim, a produção total para a próxima colheita ficou projetada em 39,48 milhões de toneladas para o estado.

Publicados

em

Sobre a produtividade, a estimativa foi estipulada em 58,62 saca/hectare, menos que 2021. FOTO - Exame/Alexis Prappas

A área aguardada de soja para a próxima temporada no estado de Mato Grosso (safra 2022/23) ficou projetada em 11,13 milhões de hectares, incremento de 2,55% em relação à safra 2021/22.

A ampliação inicial está pautada pela valorização do preço da oleaginosa, demanda aquecida e o momento de preços favoráveis dos subprodutos da soja, o que motivou alguns produtores a fazerem a conversão de áreas de pastagens para agricultura, principalmente em regiões onde a pecuária predomina — Nordeste, Noroeste e Norte.

A informação foi divulgada, nos últimos dias, pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA), no boletim semanal da soja. Sobre a produtividade, a estimativa foi estipulada em 58,62 saca/hectare, o que representa 1,26% abaixo em relação ao rendimento da safra 2021/22.

Apesar do recuo na estimativa, neste primeiro momento as projeções ficam limitadas,
devido a alguns pontos que podem impactar no decorrer da safra, como: condições climáticas e incertezas de investimento devido ao alto custo de produção.

Por fim, a produção total ficou projetada em 39,48 milhões de toneladas para o estado.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Mauro dá chilique e chama decisão do TCU sobre BRT de "presepada"
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA