CUIABÁ

EMENDA

Deputado Claudinei destina R$ 200 mil para a construção de praça em Alta Floresta

A praça vai beneficiar os moradores dos bairros Sol Nascente, Camélia e Perimetral do município

Publicados

POLÍTICA

Vereador Luciano mostra área a ser construída praça em Alta Floresta

O vereador Luciano Silva (Podemos) apresentou ao deputado estadual Delegado Claudinei (PL), no dia 24 de março, área que está prevista para ser implantada uma praça no bairro Sol Nascente e que vai beneficiar os moradores das imediações que residem na Camélia e Perimetral. Para contribuir com a edificação, o parlamentar destinou R$ 200 mil para o projeto construtivo.

De acordo com Silva, o recurso do deputado já vai contribuir bastante para investir na construção da praça que é um sonho dos moradores do Sol Nascente e de bairros adjacentes. “Já tivemos conversa com o prefeito e da engenharia e vamos tocar o projeto e realizar o sonho dos moradores. E continuaremos em busca de mais recursos”, declarou o parlamentar municipal.

Claudinei conta que é uma satisfação somar, mais uma vez, com Alta Floresta e proporcionar esse benefício que vai garantir um momento de lazer e bem-estar para a população.

“Também, tivemos a oportunidade de ajudar na saúde, com o valor de R$ 70 mil que foi aplicado na compra de veículo para o Ambulatório de Atenção Especializada Regionalizada em Hanseníase (AAER) do município, no transporte de pacientes acometidos pela hanseníase. O que tiver ao nosso alcance, esperamos sempre ajudar esse município que sempre nos acolhe muito bem”, comentou o deputado.

Leia Também:  Colegas de agente morto por Paccola vão à Câmara e pedem justiça

Localização – Alta Floresta está localizado na região Norte de Mato Grosso e conta com cerca de 50 mil habitantes, conforme o último Censo Demográfico de 2010.

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA

Mauro ignora apelo ribeirinho e veta projeto de proteção ao Rio Cuiabá

Após o veto de Mendes, cabe a Assembleia Legislativa uma nova análise. O veto pode ser mantido ou derrubado em votação em plenário

Publicados

em

Mendes tem filho no ramo de PCHs, algo que defende abertamente em detrimento ao interesse protecionista

O governador Mauro Mendes (União Brasil) vetou integralmente, nesta semana, o projeto de lei que proibia a construção de usinas hidrelétricas (UHE) e Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH) no Rio Cuiabá.

A medida foi aprovada em maio pela Assembleia Legislativa. A decisão de Mendes circulou em edição extra do Diário Oficial nesta terça-feira (5).

Na sua justificativa, Mendes disse que o dispositivo é inconstitucional por interferir em assunto cuja tratativa é de competência da União.

“Interfere na competência privativa da União para legislar sobre águas, violação ao art.22, IV da CF, bem como na competência material para explorar, diretamente ou mediante autorização, concessão ou permissão aproveitamento energético dos cursos de água; instituir sistema nacional de gerenciamento de recurso hídricos e definir critérios de outorga de direitos de seu uso”, disse na publicação.

De autoria do deputado estadual Wilson Santos (PSD), o projeto colocava em discussão a viabilidade ambiental do projeto apresentado pela Maturati Participações e que visa a construção de PCHs na região.

Após o veto de Mendes, cabe a Assembleia Legislativa uma nova análise. O veto pode ser mantido ou derrubado em votação em plenário. Se derrubado, a expectativa é que Governo, mais uma vez, judicialize um tema que perdeu no parlamento, como tem feito em outras matérias.

Leia Também:  Beijo gay em apresentação artística cria polêmica no interior de MT

Entusiasta de PCHs

O governador já tinha sinalizado que seria contra o projeto de Wilson Santos, que atende apelo de ribeirinhos, sobretudo por ser um entusiasta das PCHs. Segundo já declarou Mendes, “represar água não mata rio”.

O olhar de Mauro sobre o assunto, contudo, pode ser conotação mais pessoal do que de gestão ambiental, já que seu filho, o fenômeno dos negócios, Luis Antônio Taveira Mendes, de apenas 24 anos, tem como um dos seus negócios o de PCHs, inclusive articula, junto com o genro do ex-chefe da Casa Civil de Mato Grosso, Mauro Carvalho, a liberação de um licenciamento ambiental, por parte do Governo do Estado, para tocar o empreendimento de R$ 100 milhões.

 

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA