CUIABÁ

POLÊMICA

Deputados aprovam projeto que proíbe hidrelétricas no Rio Cuiabá

Proposta ganhou em polêmica depois que empresa que tinha projetos no curso do rio tentou cooptar deputados, segundo o que foi trazido à tona

Publicados

POLÍTICA

Manifestantes contra a chegada das estruturas, alterando o curso natural do rio, marcaram presença. FOTO - MAURICIO BARBANT / ALMT

Os deputados da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) aprovaram, nesta quarta-feira (04), o Projeto de Lei 957/2019, do deputado estadual Wilson Santos (PSD), que proíbe a construção de hidrelétricas e Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) por toda a extensão do Rio Cuiabá.

A proposta tinha parecer favorável da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) e sofreu uma forte pressão da empresa Maturati Participações, que tinha projetos para a construção de pelo menos seis hidrelétricas na extensão do rio.

O projeto teve parecer favorável da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Em sua fala no plenário, Wilson se posicionou contra as hidrelétricas, destacando formas alternativas como a energia solar, e “mandou um recado” aos empresários: de que os deputados não tem preço.

“Eu sei muito bem, esse assunto não chegou aqui tão pacificamente como parece, não. Teve muita conversa atravessada, muito recado. Alguns acham que os deputados aqui tem preço. A votação de hoje vai mostrar alguns maus empresários que o parlamento estadual está de pé e vai defender os interesses da sociedade”, enfatizou o autor da proposta.

Leia Também:  Beijo gay em apresentação artística cria polêmica no interior de MT

O PL teve apoio de grande parte dos parlamentares. O deputado estadual Gilberto Cattani (PL) tentou pedir vista à proposta, mas foi vaiado pela população na galeria e impedido devido a uma questão do regimento interno da Casa de Leis – que não concede vista a projetos que estão com tramitação urgente/urgentíssima.

“Quero deixar muito claro a minha posição. Muitas vezes se fala em preço de parlamentar, eu não sei nem o que é isso. Mas existe um preço que às vezes não é em dinheiro, é em palmas, é em agradar a plateia. Não é o meu caso, nem nesse. Eu sou contrário a esse projeto, primeiro porque ele é inconstitucional. A nossa Constituição diz que somente a federação, ou seja, o Congresso Nacional, pode deliberar sobre energia, telefonia, e similares”, enfatizou.

Se dirigindo às galerias, Cattani disse que a população depende 24h da energia gerada pelas hidrelétricas, e que se elas fossem desligadas, ninguém teria acesso. O objetivo do pedido de vista seria para melhorar a proposta. Contudo, o presidente da ALMT, deputado Eduardo Botelho (UB), manteve a votação.

Leia Também:  Mauro ignora apelo ribeirinho e veta projeto de proteção ao Rio Cuiabá

Agora, a proposta vai a redação final e será encaminhada à sanção do governador Mauro Mendes (UB), que pode vetar.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA

VEJA aponta Bolsonaro 15 pontos à frente de Lula em MT

Segundo média de pesquisas publicadas, o atual mandatário crava 47,7% da preferência no estado e o ex-presidente petista surge com 32,6%.

Publicados

em

Em nenhum outro estado analisado o presidente tem o índice de aprovação popular mais alto que Mato Grosso. A diferença em relação a Lula, porém, é maior no Acre

Levantamento da empresa de consultoria Vector Research, publicado no site da revista Veja, nesta semana, confirma o atual presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), absoluto em Mato Grosso.

O levantamento traçou um paralelo direto entre Bolsonaro e Lula (PT), seu principal adversário e com quem deve, de fato, disputar diretamente o maior cargo do país nas urnas, em 2022.

Os números confirmam a liderança bolsonaristas em Mato Grosso com 15 pontos percentuais de frente, com o atual mandatário cravando 47,7% da preferência e o ex-presidente petista surgindo com 32,6%.

Cenário geral

Embora em solo mato-grossense o índice de apoio bolsonarista seja o maior registrado, do ponto de vista de vantagem direta sobre Lula, ou seja, de diferença entre um e outro, o estado mais bolsonarista é o Acre.

Por lá, são mais de 18 pontos de frente do atual presidente. Enquanto Bolsonaro chega a ter 47,4% das intenções de voto, Lula surge com 29,1%.

Diferença similar ocorre, também, em Santa Catarina, onde Bolsonaro supera Lula por 45,1% a 29%. A liderança se mantém acima do patamar de 40% em Goiás, com 42,4% contra 32,1% do petista..

Leia Também:  CPI aponta improbidade e pede afastamento de secretária filha de prefeito

O MAIS PETISTA

Do outro lado dos números, o Piauí é onde Lula (PT) tem a maior vantagem sobre Jair Bolsonaro (PL), com mais de 46 pontos de diferença.

O ex-presidente tem 64,2% de preferência entre os eleitores do estado nordestino, enquanto o presidente que busca a reeleição marca 17,3%.

Apanhado geral

O mapa da disputa presidencial nos estados foi montado pela Vector Research a partir de uma análise média com pesquisas de 15 institutos, realizadas entre os dias 6 de maio e 29 de junho em 24 estados (exceto Amapá e Rondônia) e no Distrito Federal.

A empresa preferiu restringir a análise à dupla de atuais líderes nas sondagens.

Veja abaixo os índices comparativos entre os principais candidatos à Presidência da República por estado:

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA