CUIABÁ

COMEMOROU SUSPENSÃO

Emanuel alfineta e diz que BRT é pura "vontade pessoal do governador"

Na última sexta (06), o ministro Arold Cedraz, do TCU, acatou pedido de Emanuel e suspendeu todos os procedimentos da troca de modal

Publicados

POLÍTICA

Prefeito tem prometido ir até as últimas consequências para impedir que Mauro dê seguimento ao fim do VLT

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), comemorou a decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) que suspendeu as obras do BRT (em português, ônibus rápido no trânsito) e afirmou, nesta segunda-feira (09), que a troca do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) é uma “vontade pessoal do governador”.

“Simplesmente, não havia projeto algum, foi uma vontade pessoal do governador, sem discutir com ninguém, que levou a essa situação absurda. Segundo ponto, como você vai fazer uma obra dessa dimensão, vai trocar um modal dessa modernidade, dessa amplitude que é o VLT para o BRT, sem ouvir os dois municípios interessados, sem ouvir a população interessada que vai andar?”, questionou, durante a entrega de títulos de regularização fundiária no bairro Dr. Fábio II.

Na última sexta-feira (06), o ministro Arold Cedraz, do TCU, acatou um pedido de Emanuel e suspendeu todos os procedimentos administrativos em relação à troca do VLT para o BRT. A prefeitura de Cuiabá alega que a continuidade da implantação da obra, que já teve a sua licitação homologada pelo Governo em abril, traria “graves e irreversíveis prejuízos”.

Leia Também:  Cattani reconhece dificuldade de Wellington com bolsonaristas

Emanuel enfatizou que a luta do Palácio Alencastro pelo VLT já está surtindo resultados e enfatizou que não existem projetos que dão segurança ao BRT. “É o nosso grito fazendo eco nas instâncias superiores em Brasília, um órgão de controle externo da importância, da dimensão do Tribunal de Contas da União. Nossa luta não está sendo em vão, podemos mostrar ali para os ministros do TCU, especialmente para o ministro relator Aroldo Cedraz que primeiramente não havia nenhum projeto que nos desse segurança que mudar do VLT para o BRT Cuiabá seria melhor atendida”, disse.

Nesta segunda (10), Mauro afirmou que a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) já ajuizou um recurso contra a decisão e enfatizou que a prefeitura de Cuiabá induziu a Corte de Contas ao erro. O governador decidiu, em seu atual mandato, ignorar mais de R$ 1 bilhão já gastos em uma obra mais de 50% executada, pagou mais R$ 560 milhões de financiamento e lançou edital pelo BRT para gastar mais R$ 480 milhões.

Leia Também:  Galvan sinaliza com "surpresa" do PTB para disputar Governo com Mauro

Para especialistas do setor, o BRT deve consumir, no mínimo, o dobro do projetado, caso seja executado, e deve gerar uma tarifa aos usuários maior do que seria a do VLT, transporte mais ágil, moderno e confortável.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA

Pesquisa mostra Emanuelzinho e Medeiros na frente em Cuiabá e VG

O jovem parlamentar do MDB e o bolsonarista do PL já possuem a garantia de estarem em legendas que fatalmente alcançarão o quociente

Publicados

em

Números foram coletas pelo instituto Percent, nos últimos dias

Os atuais deputados federais por Mato Grosso, Emanuelzinho (MDB) e José Medeiros (PL), ambos pré-candidatos à reeleição, foram os nomes mais lembrados pelos eleitores cuiabanos em uma nova rodada de pesquisas de intenção de voto da Percent, feita em parceria com a TV Cuiabá e o site O Documento.

O filho do prefeito da capital, Emanuel Pinheiro,  que voltou ao partido do pai em 2022, onde também já tinha militou no passado, alcançou 5,1% da preferência popular em amostragem colhida em Cuiabá e Várzea Grande. Em segundo lugar, figura Medeiros, um dos mais reconhecidos com a pauta bolsonarista no estado, com 3,4% das lembranças dos entrevistados.

Tirando por base os números, tanto Medeiros quanto Emanuelzinho, até pelo poderio dos partidos que se encontram  – que não terão qualquer problema em alcançar a quociente eleitoral – tendem a se reeleger no dia 2 de outubro.

A votação do jovem emedebista deve seguir, como não dava pra ser diferente, sendo amplamente majoritária dentro do maior colégio eleitoral do estado, todavia, Pinheiro conseguiu ampliar e construir bases eleitorais no interior com sua atividade parlamentar, nos últimos quatro anos.

Leia Também:  Com destaque, três mulheres de Rondonópolis miram a Câmara Federal

Já Medeiros, segundo mais votado de 2018, com mais de 82 mil votos, deve repetir boas votações na capital e em Rondonópolis, sua principal base eleitoral, e contabilizar apoios por praticamente todas as regiões do estado. Há quatro anos, o bolsonarista teve votos em todos os 141 municípios.

A pesquisa trouxe uma “surpresa” em seus números. Trata-se do ex-comandante da Polícia Militar, Coronel Assis (União Brasil). Sem nunca ter disputado qualquer cargo eletivo, Assis, que deve disputar pelo União Brasil – UB, partido do governador, Mauro Mendes (UB), cravou 2,2% de preferência popular

Com 2% das citações, outros três nomes se destacaram na Percent. São eles: Nelson Barbudo (PL), que foi o mais votado de 2018 com surpreendentes 126.249 votos, Sargento Joelson (Cidadania) e Carlos Bezerra (MDB).

A deputada federal, Rosa Neide (PT), abocanhou 1,5%, seguida por Fábio Garcia (União Brasil), Gisela Simona (União Brasil) e Coronel Fernanda (PL), ambos lembrados por 1% dos entrevistados.

Metodologia

A Percent aplicou a técnica “survey de opinião” com 1.000 entrevistados por telefone em Cuiabá e Várzea Grande. A coleta de dados se deu entre os dias 27 de abril a 3 de maio. A margem de erro de é 3,10% para mais ou para menos. Seguindo os ditames da Lei Eleitoral, a pesquisa foi devidamente registrada junto ao Tribunal Regional Eleitoral sob o número MT-06721/2022.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA