CUIABÁ

O NOME DA FEDERAÇÃO

Emanuel confirma convite para Márcia disputar Governo

Pinheiro afirmou que a decisão será tomada por Márcia nos próximos dias e que o martelo será batido junto de toda família

Publicados

POLÍTICA

Pouco antes da sua tradicional live semanal, prefeito esteve com líderes de esquerda e ouviu que a escolha seria a primeira-dama.

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), anunciou na noite desta terça-feira (26), durante sua tradicional live semanal, que a primeira-dama, Márcia Pinheiro (PV), foi convidada para ser pré-candidata ao Governo de Mato Grosso.

A proposta teria surgido da chamada Federação Brasil da Esperança, formada por PT, PV e PCdoB. “Eles [a Federação em Mato Grosso] convidam, com aval da Nacional, a primeira-dama Márcia Pinheiro para ser pré-candidata a governadora pela Federação e buscar aliança com partidos aliados. E eles vieram até mim, que não sou da Federação, por ser esposo e prefeito da capital, a federação nacional veio consultar se eu apoiaria [essa condição]. […] Eu não sou de fugir de desafios”, disse ele.

Pinheiro afirmou que a decisão será tomada por Márcia nos próximos dias. “É decisão que eu tenho que consultar a primeira-dama […], primeiramente eu tenho que ouvir dela e da nossa família”, pontuou o prefeito.

Segundo ele, o convite foi realizado após o senador, Carlos Fávaro (PSD), rejeitar encabeçar projeto de oposição ao governador Mauro Mendes (União Brasil), no pleito deste ano. Fávaro optou em continuar na base de Mendes e será apenas o coordenador de campanha de Lula no estado.

Leia Também:  Lula é quase três vezes mais rico que Bolsonaro

Na linha de sucessão para encabeçar o projeto de oposição, havia a ex-reitora Maria Lucia (PCdoB), porém, ela recusou o convite. “A reitora, por motivos pessoais, declinou dessa missão por motivos estritamente particulares e familiares”, disse Pinheiro.

O prefeito destacou que a decisão obteve aval da Federação Nacional. A escolha do nome de Márcia foi tomada durante reunião da Federação em Mato Grosso, com o próprio prefeito de Cuiabá, na tarde desta terça-feira (26), antes da live.

Estiveram presentes a ex-reitora da UFMT, Maria Lúcia (PCdoB), e o presidente da sigla, Miranda Muniz, o presidente do PT em Mato Grosso, deputado Valdir Barranco, e o presidente do (PV) José Roberto Stopa.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA

Mauro declara ter perdido R$ 4 milhões em bens como governador

Segundo os dados registrados por Mauro diretamente ao TSE, o governador declarou ter, atualmente, R$ 108.994.271 em bens. I

Publicados

em

Enquanto o jovem filho escala meteoricamente o mundo dos negócios, governador diz que empobreceu. FOTO - Ednilson Aguiar / O Livre

Enquanto o filho, de 24 anos, Luís Antônio Taveira Mendes, virou sócio de 36 empresas e já acumula participação em um total de mais de R$ 2,7 bilhões em capital social, tudo conquistado durante o atual mandato do pai, Mauro Mendes (União Brasil), que comanda Mato Grosso desde 2019, o próprio governador oficializou à Justiça Eleitoral, nesta sexta-feira (12), para concorrer à reeleição no próximo mês de outubro, que encolheu seu patrimônio em R$ 4 milhões desde 2018, quando também foi obrigado a informar seus bens.

Segundo os dados registrados por Mauro diretamente ao Tribunal Superior Eleitoral – TSE, o governador declarou ter, atualmente, R$ 108.994.271 em bens. Isso representa uma queda de 3,9% se comparado a 2018, quando foi eleito governador pela primeira vez e oficializou ter  R$ 113.453.806,96. Com prejuízo médio de mais R$ 1 milhão por ano em cada ano de mandato, Mauro viu exatos R$ 4.459.535,78 irem embora de si, segundo o que informou.

Já Otaviano Pivetta (REPUBLICANOS), que novamente fechará chapa com Mauro como seu vice, segue sendo o mais rico entre todos os candidatos a cargo público em  Mato Grosso, com R$ 378.869.597,00. Os dois juntos somam próximo de R$ 487 milhões de bala na agulha.

Leia Também:  Lula é quase três vezes mais rico que Bolsonaro

A maior parte do valor bens de Mauro são de quotas e quinhões de capital, caracterizado por investimento em empresa do próprio governador. Ao todo, R$ 105 milhões estão nesta categoria. Outro valor que soma ao montante é da residência do atual líder do Palácio Paiaguás.

O imóvel, no Condomínio Alphaville, está avaliado em R$ 2,8 milhões. O patrimônio também está divido em outras aplicações, investimentos e em bens de imóveis que não foram detalhados. Isso porque, no início deste ano, a Justiça Eleitoral restringiu a divulgação de informações sobre os bens dos candidatos.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA