CUIABÁ

VEM FORTE

Empresária bolsonarista vira a

O PSL, que fazia parte, se uniu com o DEMOCRATAS, de Mauro Mendes, para criar o União Brasil, o que lhe aproximou do gestor estadual

Publicados

POLÍTICA

Marchiane ganhou destaque em 2020, como vice de Luizão, e assume agora o protagonismo em uma eleição com a marca feminina no maior colégio do interior.

Uma das caras novas que surgiram ao grande público nas eleições municipais de 2020, em Rondonópolis, a empresária, Marchiane Fritzen (UB), se prepara para uma primeira investida como protagonista em um pleito eleitoral, já que concorreu como a vice de Luizão (REPUBLICANOS) – candidato que ficou em 2º lugar na corrida pela Prefeitura e acabou derrotado por Zé do Pátio (PSB) – no maior colégio eleitoral do interior.

Mesmo com a derrota, é quase que consenso entre a classe política que boa parte da guinada de Luizão no pleito foi justificada pelo bom desempenho também de Marchiane, que em aparições públicas e no contato com o povo conseguia, visivelmente, ter melhor desempenho em meio a campanha que o próprio “cabeça de chapa”. Muita gente acredita, inclusive, que o resultado poderia ter sido ainda melhor se a posição de ambos fosse invertida na chapa.

Especulada no PL, pela sua proximidade com as pautas bolsonaristas, Marchiane acabou permanecendo no mesmo grupo político que disputou há dois anos. O PSL, que fazia parte, se uniu com o DEMOCRATAS, do governador, Mauro Mendes, permitindo a criação do União Brasil. A nova composição partidária fez com que a empresária se aproximasse do chefe do Executivo Estadual, que após a primeira reunião já enxergou o potencial da nova correligionária.

Marchiane foi alçada à condição de pré-candidata pelo União Brasil a deputada federal e, embora especule-se um olhar priorizado do governador pelo projeto do afilhado político e líder da sigla no estado, Fábio Garcia (UB), ao mesmo cargo, a investida de Fritzen em Rondonópolis passa longe de ser entendida apenas como um captador de números para a legenda e expectativa é que a empresária tenha respaldo partidário para entrar “pesado” na garimpagem por votos.

VERDADE NUA E CRUA

Marchiane garante que não faz o tipo bajuladora e tem “puxado” a orelha do governador sobre Rondonópolis e região.

De personalidade forte, Marchiane falou com exclusividade ao MINUTO MT e esclareceu que, embora reconheça que o governador faça uma boa gestão, em âmbito geral, compartilha da opinião que existe um déficit em relação a maior cidade do interior, sobretudo por sua importância regional. Ao visualizar que não havia chance de Mendes apoiar a candidatura de Lula (PT) à Presidência, garante que aceitou o convite proposto, mas explica que não faz o tipo de aliada bajuladora e conta que já tem “perturbado” o juízo de Mendes, semanalmente, com demandas não só de Rondonópolis como dos 19 municípios que os circundam e que juntos representam um universo de 600 mil mato-grossenses.

Leia Também:  Novo outdoor de ataque da direita em MT vira pauta nacional

“Já pra fechar com o grupo do Mauro, discutimos isso de maneira muito clara. Ele sabia dessa situação (déficit), que não tinha sequer um secretário do Município de Rondonópolis e que era necessário também levar as demandas pra ele. Entrei nessa também para tentar contribuir. Hoje, eu mesmo levo as demandas da região sul diretamente na mesa dele, pra buscar solucionar nossas carências e abrir caminho para o desenvolvimento. Eu acredito muito na capacidade dele, até porque ele pegou o estado com seis meses de folha atrasada, sem caixa e fez uma transformação, criando um canteiro de obras. Queremos trazer mais disso para a região sul, não só Rondonópolis”, cita, exemplificando a urgência de investimentos no Anel Viário e Hospital Regional.

AGIR NO LUGAR DE CRITICAR

Pleito municipal fez pré-candidata perceber a importância de participar ativamente do processo político.

A empresária afirma que nunca foi obcecada por conseguir um cargo público, mas que vem convivendo com a inquietação que a faz ansiar por participar mais ativamente da construção do futuro que diz acreditar. “Na verdade, minha participação na política local me fez perceber que não adianta ficar só no grupo de WhatsApp reclamando, no meu facebook denunciando e postando, sem tentar participar ativamente da mudança. Estou muito preocupada com o futuro dos meus filhos, dos meus netos que ainda não tenho, e se a gente não colocar a mão na massa daqui a pouco, de fato, não haverá solução. E aí vou olhar para meus filhos e sugerir que não me deem netos? Não posso fazer isso. Sou uma mulher de ação, já provei minha capacidade de gestão e creio que posso contribuir bastante para a política”, sustenta.

Leia Também:  Segundo Cattani, bolsonaristas raiz são "fiéis às suas esposas"

“CONCORRÊNCIA” FEMININA

Marchiane diz estar feliz por Rondonópolis estar dando protagonismo político para mulheres

Sobre a participação feminina destacada na cidade, inclusive com mais duas candidaturas com destaque à Câmara Federal, além da sua, caso da atual vereadora, Kalynka Meirelles (REPUBLICANOS), e da primeira-dama, Neuma de Morais (PSB), Marchiane garante que o sentimento é de muita satisfação. “Fico megafeliz com isso, somos 52% do eleitorado com uma participação ativa na política de 15%. Não estou desmerecendo homens, mas o homem pode até defender a minha cólica, a minha dor de cabeça, defender até a decisão de cuidar do meu filho, mas ele nunca sentiu isso. Ele não conhece a dor do parto e o que sofre uma mãe quando deixa o filho pra ir trabalhar. Precisamos dessa sensibilidade. Temos a capacidade de trazer a inovação, criar soluções, enfim, brinco que se somos capazes de “otimizar discussões de moleque” somos capazes de fazer qualquer coisa. Fico feliz da participação feminina, independente de sermos concorrentes”, cita.

NEGÓCIOS X POLÍTICA

Empresária diz que preparou as empresas para funcionarem sem sua presença.

Quanto a deixar sua vida de sucesso na iniciativa privada para entrar de cabeça na pública, a mulher de negócios garante que está segura da decisão, sobretudo pelos profissionais que hoje pode contar. “Hoje (pré-campanha) já tenho muitas reuniões políticas que me tomam muito tempo e já não me permitem dedicar totalmente às minhas empresas. Minha vantagem é que montei uma equipe, um time muito forte que me ajuda e que foi preparado ao longo dos anos para conseguir tocar os negócios, não porque eu queria me afastar, mas pensando em crescer é sempre necessário delegar. O meu time aqui não é só forte, ele é espetacular. Já estou parcialmente afastada e muito tranquila porque está até indo melhor do que quando eu estava”, brinca.

Marchiane completa 42 anos em 2022 e, apesar da aparência e sobrenome fazerem referência a uma origem sulista, o que parcialmente procede, ela é nascida em Rondonópolis e também tem raízes nordestinas. Ela é diretora do Grupo Gera, mãe de três filhos e casada com o médico, Diógenes Garrio Carvalho.

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA

CPI aponta improbidade e pede afastamento de secretária filha de prefeito

O relatório, finalizado nos últimos dias, enquadra Viviane em improbidade administrativa e agora segue para encaminhamento do MPE

Publicados

em

Viviane Orlato, filha do prefeito Nelson Orlato, de Pedra Preta, é acusada por quatro servidores de diversos abusos contra os trabalhadores.

O relatório de uma Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI, instaurada na Câmara Municipal de Pedra Preta, concluiu que são procedentes as denúncias que apontam assédio moral, por parte da secretária de saúde da cidade de Pedra Preta (240 KM de Cuiabá), Viviane Santana Orlato, filha do prefeito local, Nelson Orlato (PSB), contra servidores municipais.

O relatório, finalizado nos últimos dias, enquadra Viviane em improbidade administrativa. Instalada no início de fevereiro, a CPI teve como base o relato de quatro testemunhas que reforçaram  diversas ações, por parte da secretária, que extrapolaram qualquer limite do razoável dentro do relacionamento hierárquico.

Os denunciantes, que não são especificamente do mesmo posto de trabalho, registraram ainda um boletim de ocorrência onde citam diversas condutas de Viviane atentando contra sua lá dignidades psíquicas e, por reiterada vezes, expondo os trabalhadores a situações humilhantes e constrangedoras. No relatório da CPI, cita-se o artigo 140 do Código Penal, relacionando a filha do gestor municipal ao crime de injúria.

Leia Também:  TCE aponta superfaturamento de prefeitos de MT na pandemia

Segundo o relator da CPI, o vereador João Marco Amorim (DC), a conclusão do inquérito parlamentar será encaminhado ao Ministério Público Estadual – MPE com a recomendação pelo afastamento imediato da chefe da pasta de saúde. “A comissão não tem o poder de afastar a secretária, por isso enviamos relatório ao Ministério Público e se a promotora tiver o mesmo entendimento que nós aí é competência do MP tomar a decisão”, ressaltou o parlamentar, que cumpriu a palavra de não deixar qualquer tipo de interferência política externa interferir nas oitivas e no trabalho de investigação legislativa.

O possível atentado de Viviane contra a saúde mental dos envolvidos, antes mesmo do relatório da CPI, também já foi materializado ao MPE. São citadas perseguições evidenciadas em remanejamentos administrativos de cargos, ligações fora de hora de trabalho, cobranças excessivas e feitas de maneira descontrolada, dentre outros exemplos.

Segundo o apurado pelo MINUTO MT, em meio às vítimas existem, pelo menos, dois casos de pessoas que precisaram de ajuda psiquiátrica e que tiveram de adotar tratamento medicamentoso contra ansiedade e síndrome do pânico, depois de episódios repetidos e traumáticos no ambiente de trabalho, envolvendo a secretária. Em um caso mais grave, uma servidora teria tentado suicídio.

Leia Também:  Novo outdoor de ataque da direita em MT vira pauta nacional

Lei do Stalking

Criminalmente falando, caso as denúncias contra a secretária sejam confirmadas, ela poderá sofrer os efeitos punitivos da recente Lei 14.132, aprovada em 2021, conhecida como Lei do Stalking, que prevê como pena reclusão de seis meses até dois anos, além de multa.

O texto tipificou como crime no Código Penal o ato de “Perseguir alguém, reiteradamente e por qualquer meio, ameaçando-lhe a integridade física ou psicológica, restringindo-lhe a capacidade de locomoção ou, de qualquer forma, invadindo ou perturbando sua esfera de liberdade ou privacidade”.

Espaço aberto

A Administração Municipal de Pedra Preta, seja por meio de Viviane, do pai, Nelson Orlato, ou do corpo jurídico, ainda não se manifestou oficialmente sobre o ocorrido. O espaço segue aberto.

Filha do prefeito seria a razão de crises de síndrome do pânico e até de tentativa de suicídio entre os trabalhadores da área da saúde, a qual comanda

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA