CUIABÁ

CONFIANÇA OU PREPOTÊNCIA?

Janaína trata reeleição como resolvida e já fala em Governo e Senado

Deputada vai disputar a reeleição aos 33 anos de idade e quer um cargo majoritário quando já tiver com 37, em 2026

Publicados

POLÍTICA

Filha de Riva crítica o próprio pai para conseguir se opor a chance de perpetuação de poder de Botelho no comando da ALMT

A deputada estadual, Janaina Riva (MDB), demonstra a cada dia mais que a possibilidade de não conseguir a reeleição sequer passa por sua cabeça e ela não esconde que quer ser presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) na próxima legislatura, sobretudo pela ânsia política de ascender politicamente nos próximos pleitos.

Segundo assume abertamente. sua intenção é usar a Mesa Diretora como “degrau” para crescimento político, pois as eleições deste ano serão as últimas em que disputará o cargo de deputada estadual. Em 2026, segundo Riva, seu desejo é sair candidata ao Governo do Estado ou ao Senado Federal.

Recentemente, Janaina se viu envolvida em uma polêmica, depois de criticar a perpetuação à frente da mesa diretora. Quem não gostou foi o atual presidente Eduardo Botelho (UNIÃO), que disse que a colega tinha esquecido de citar o próprio pai, José Geraldo Riva, que foi presidente da Casa de Leis diversas vezes.

“Houve uma má interpretação, porque quando eu fiz minha fala eu usei o exemplo do meu pai também. Eu condeno o que meu pai fez no passado vendo o que isso representou para ele pessoalmente hoje, e ele mesmo se arrepende da trajetória que trilhou nessa perpetuação à Mesa”, explicou a parlamentar na segunda-feira (30).

Leia Também:  TCE aponta superfaturamento de prefeitos de MT na pandemia

Segundo Janaina, ela afirmou que a comparação é digna caso Botelho se perpetue da forma como está, mas viu que posteriormente o próprio atual presidente vê tal necessidade. “Acho que esse é o nosso caminho, a gente tem que trocar os nomes da Mesa, principalmente, e eles têm que abrir espaço para as novas lideranças. Se essa liderança vai ser eu ou não, vai depender mais de mim do que deles. Mas que tem que abrir espaço para as novas, a gente tem que abrir espaço”.

O estranho da fala da moça é que ela é vice-presidente reeleita, ou seja, sua chegada na condição de presidente não denotaria nenhum tipo de renovação, como tenta construir em narrativa.

Próximos passos

Atualmente em seu segundo mandato como deputada, Janaina não pretende passar mais do que quatro anos como deputada estadual, algo que demonstra ter mais do que certeza que garantirá com o pleito de outubro.

Segundo ela, sua vontade de chegar à presidência da Mesa Diretora, que só será definida pelos 24 novos eleitos, o que parece ser ela é mais 23, na cabeça da deputada, é justificada justamente pelo desejo por outros cargos.

Leia Também:  Governo de MT é citado em site nacional por falta de transparência

Ela ainda afirmou que está “na fila” há dois mandatos e irá pleitear o cargo, sobretudo se tiver muitos votos. “Não acho que diminuindo a votação fica bem pleitear um cargo como esse. É um cargo para quem quer crescer e isso que eu cobro bastante do Max e do Botelho. Acho que a Mesa tem que ser um degrau para uma candidatura ao Governo, ao Senado, e se ficar só nessa de ficar na Mesa acaba saindo de lá sem expectativa nenhuma, é só ser deputado para estar na Mesa, e isso não concordo. Então eu quero passar na Mesa porque estou decidida que essa é minha última eleição de estadual, diferente da maioria que tem uma visão de que não”, defendeu.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA

VEJA aponta Bolsonaro 15 pontos à frente de Lula em MT

Segundo média de pesquisas publicadas, o atual mandatário crava 47,7% da preferência no estado e o ex-presidente petista surge com 32,6%.

Publicados

em

Em nenhum outro estado analisado o presidente tem o índice de aprovação popular mais alto que Mato Grosso. A diferença em relação a Lula, porém, é maior no Acre

Levantamento da empresa de consultoria Vector Research, publicado no site da revista Veja, nesta semana, confirma o atual presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), absoluto em Mato Grosso.

O levantamento traçou um paralelo direto entre Bolsonaro e Lula (PT), seu principal adversário e com quem deve, de fato, disputar diretamente o maior cargo do país nas urnas, em 2022.

Os números confirmam a liderança bolsonaristas em Mato Grosso com 15 pontos percentuais de frente, com o atual mandatário cravando 47,7% da preferência e o ex-presidente petista surgindo com 32,6%.

Cenário geral

Embora em solo mato-grossense o índice de apoio bolsonarista seja o maior registrado, do ponto de vista de vantagem direta sobre Lula, ou seja, de diferença entre um e outro, o estado mais bolsonarista é o Acre.

Por lá, são mais de 18 pontos de frente do atual presidente. Enquanto Bolsonaro chega a ter 47,4% das intenções de voto, Lula surge com 29,1%.

Diferença similar ocorre, também, em Santa Catarina, onde Bolsonaro supera Lula por 45,1% a 29%. A liderança se mantém acima do patamar de 40% em Goiás, com 42,4% contra 32,1% do petista..

Leia Também:  Governo de MT é citado em site nacional por falta de transparência

O MAIS PETISTA

Do outro lado dos números, o Piauí é onde Lula (PT) tem a maior vantagem sobre Jair Bolsonaro (PL), com mais de 46 pontos de diferença.

O ex-presidente tem 64,2% de preferência entre os eleitores do estado nordestino, enquanto o presidente que busca a reeleição marca 17,3%.

Apanhado geral

O mapa da disputa presidencial nos estados foi montado pela Vector Research a partir de uma análise média com pesquisas de 15 institutos, realizadas entre os dias 6 de maio e 29 de junho em 24 estados (exceto Amapá e Rondônia) e no Distrito Federal.

A empresa preferiu restringir a análise à dupla de atuais líderes nas sondagens.

Veja abaixo os índices comparativos entre os principais candidatos à Presidência da República por estado:

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA