CUIABÁ

ELEIÇÕES 2022

Juca surge muito bem em pesquisa para a ALMT

Com exceção de três “medalhões” que já estão no mandato e disputam a reeleição, ninguém está melhor que Juca na baixada cuiabana

Publicados

POLÍTICA

Emedebista está na segunda colocação do seu partido, o MDB, em Cuiabá, só atrás de Janaína Riva

Faltando menos de cinco meses para as eleições 2022, o atual presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, Juca do Guaraná (MDB), só não está na frente no gosto popular, no que se refere a intenção de voto para a Assembleia Legislativa de Mato Grosso – ALMT, na baixada cuiabana, que Eduardo Botelho (UB), Janaína Riva (MDB) e Wilson Santos (PSD), todos deputados estaduais com mandato e que devem disputar a reeleição.

Com bases populares bem estruturadas na região que concentra o maior colégio eleitoral de Mato Grosso, Juca é um bom exemplo de uma máxima que já rege a política mato-grossense há anos: se está bem em Cuiabá, está no estado todo. O projeto do emedebista abocanhou 3% da preferência popular, o que demonstra capilaridade e também surge como uma grande notícia para o reforço da legenda do MDB, que novamente deve ter Janaína como a maior puxadora de votos.

No quadro geral, o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (União Brasil), é o mais cotado em Cuiabá e municípios vizinhos. O veterano apareceu com 4,5% das intenções de votos.

Leia Também:  Apressado, trio já se engalfinha por comando da ALMT em 2023

A pesquisa da Percent foi realizada basicamente em Cuiabá e Várzea Grande, principal base política de Botelho. A deputada estadual, Janaina Riva (MDB), perdeu um pouco fôlego, já que liderava com folga em outubro do ano passado, mas ainda segurou 4,3% das citações nas duas maiores cidades de Mato Grosso.

O ex-prefeito da Capital, Wilson Santos (PSD), também segurou bem seu tradicional eleitor e cravou 3,3% de preferência popular. Logo atrás, tecnicamente empatado com Juca vem o também deputado estadual com mandato, Elizeu Nascimento (PL), com os mesmos 3% do atual vereador.

No pelotão intermediário, o primeiro-secretário da Casa de Leis, Max Russi (PSB), e o também deputado estadual, Faissal Kalil (Cidadania), apareceram empatados numericamente com 2,5% das citações. Um pouco mais abaixo, com 2,3%, pontuo o médico Lúdio Cabral (PT).

Com exatos 2%, cinco nomes foram lembrados pelos entrevistados. São eles: Paulo Araújo (PP), Júlio Campos (União Brasil), Marcia Pinheiro (PV), Diogo Guimarães (Republicanos) e Dr. Luiz Fernando (Republicanos).

Outras 11 lideranças, pré-candidatos ou não, ainda pontuaram com 1%. Neste grupo, cita-se o ex-secretário estadual de Fazenda, Éder Moraes (PV). Ele foi citado espontaneamente por 1% dos entrevistados. Com o mesmo percentual pontuaram l atual deputado, João Batista, Wallace Guimarães, Dr. Daúde, Tião da Zaeli, Sargento Laudicério, Ridalva, Felipe Wellaton, o também deputado, Carlos Avalone, o ex-secretário estadual de saúde, Gilberto Figueiredo, e Fábio Tardin.

Leia Também:  Fávaro deixa Senado Federal para tentar eleger Neri

A Percent aplicou a técnica “survey de opinião” com 1.000 entrevistados por telefone em Cuiabá e Várzea Grande. A coleta de dados se deu entre os dias 27 de abril a 3 de maio. A margem de erro de é 3,10% para mais ou para menos. Seguindo os ditames da Lei Eleitoral, a pesquisa foi devidamente registrada junto ao Tribunal Regional Eleitoral sob o número MT-06721/2022.Metodologia

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA

Apressado, trio já se engalfinha por comando da ALMT em 2023

A ironia é que a própria Janaína é a atual vice-presidente reeleita da Casa e entende que seu nome no comando seria alternar o poder. 

Publicados

em

Janaína e Botelho já trocam farpas públicas, enquanto Russi adota o silêncio.. FOTO - Ednilson Aguiar/OLivre

A confiança na reeleição no pleito eleitoral de outubro é tão grande, que os atuais deputados estaduais, Max Russi (PSB), Eduardo Botelho (UB) e Janaína Riva (MDB) já travam uma batalha pesada nos bastidores visando o comando da próxima mesa diretora, a partir de janeiro de 2023.

A tensão atrás das cortinas, aliás, é tanta, que a Janaína externou, recentemente, a queda de braço e alfinetou o atual presidente, Eduardo Botelho, que recentemente retornou ao cargo por decisão do Supremo Tribunal Federal – STF, isto porque já está em seu terceiro biênio como comandante da mesa diretora.

Em entrevista à Rádio Metrópole FM, Janaína foi dura ao dizer que a Assembleia “não tem dono” e que o seu comando precisa ser democrático. “Nós temos que acabar com esse coronelismo na Assembleia. Se Botelho e Max estão achando que vão ficar se perpetuando no poder, estão muito enganados. Porque eu não vou aceitar e os deputados não vão”, afirmou.

No seguimento da entrevista, a deputada foi pega na contradição, em virtude do pai, José Riva, ter ficado 20 anos no comando do parlamento e assumiu que o pai foi um dos “donos da ALMT”, teve que fazer uma crítica indireta familiar, mas reiterou que esse tipo de coisa acabou.

Leia Também:  Justiça marca julgamento que pode cassar prefeito Kalil de VG

“Meu pai foi dono da Assembleia como outros foram. […] E hoje nós temos uma legislação, que poderia até ter o nome de ‘Lei Riva’, que proíbe a troca de cargos entre primeiro-secretário e presidente. Essa legislação é extremamente importante para Assembleia parar de ter dono”, citou, referindo-se a manobra que era executada no passado pelo pai, que mantinha sempre o mesmo grupo no poder.

A emedebista mostrou estar obcecada pela gestão e disse que não aceitará que deputados tentem derrubar a legislação para se favorecer, ameaçando levar o povo pra dentro do plenário para fazer pressão nos colegas. Ela adiantou que fará oposição à Mesa Diretora, caso a intenção seja o seguimento dos mesmos.

A ironia é que a própria Janaína é a atual vice-presidente reeleita da Casa de Leis e entende que seu nome no comando seria alternar o poder.

Botelho reage

Como não poderia deixar de ser, Botelho reforçou que quem instituiu o modelo atual de comando do legislativo foi José Riva. “Quem criou isso dentro da Assembleia foi o pai dela. O Riva foi quem transformou a eleição de presidente, quem criou a reeleição. Agora é fácil [ela] falar, já usufruiu de tudo”, afirmou o atual presidente, em entrevista à TV Cidade Verde.

Leia Também:  Fávaro deixa Senado Federal para tentar eleger Neri

Em outro momento, o deputado cutucou novamente Janaína e disse que “acabou o negócio de acertinho”, reforçando que cada deputado decide a própria vida, criticando a preocupação antecipada da deputada, já que não se sabe sequer quem serão os 24 a estar no parlamento em 2022.

 

 

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA