CUIABÁ

AGRO

Mato Grosso produz café de qualidade e deve dobrar produção

Publicados

AGRO

A região Noroeste do Mato Grosso tem se destacado na produção de café. O governo mato-grossense reconhece a cidade de Colniza como a capital do café no estado. Ela é responsável por mais de 51% da produção do Mato Grosso e é, por isso, considerada referência para os demais municípios.

São mais de 10 mil hectares de café de qualidade, plantado numa região de solo e clima favoráveis, que devem permitir, no prazo de cinco anos, quase dobrar a produção de 130 mil sacas de café por alqueire, passando a produzir de 220 sacas a 230 sacas por alqueire. Para isso, produtores locais estiveram com o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, pleiteando recursos para a logística no município. O objetivo é obter investimento em patrulha mecanizada, a fim de abrir estradas no acesso a fazendas e facilitar o escoamento da produção de grãos voltados especialmente para a elaboração de expresso e cappuccino.

Produtores e mão de obra não são problemas para a atividade que foi estimulada com investimento de R$ 6 milhões, inicialmente, do programa Pró-café do Mapa. O programa permitiu a aplicação no fortalecimento das lavouras, em mais viveiros, mudas e equipamentos para a produção de grão na região.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Pesquisa mostra Emanuelzinho e Medeiros na frente em Cuiabá e VG
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

AGRO

MT aumenta área plantada de soja, mas deve produzir menos

Por fim, a produção total para a próxima colheita ficou projetada em 39,48 milhões de toneladas para o estado.

Publicados

em

Sobre a produtividade, a estimativa foi estipulada em 58,62 saca/hectare, menos que 2021. FOTO - Exame/Alexis Prappas

A área aguardada de soja para a próxima temporada no estado de Mato Grosso (safra 2022/23) ficou projetada em 11,13 milhões de hectares, incremento de 2,55% em relação à safra 2021/22.

A ampliação inicial está pautada pela valorização do preço da oleaginosa, demanda aquecida e o momento de preços favoráveis dos subprodutos da soja, o que motivou alguns produtores a fazerem a conversão de áreas de pastagens para agricultura, principalmente em regiões onde a pecuária predomina — Nordeste, Noroeste e Norte.

A informação foi divulgada, nos últimos dias, pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA), no boletim semanal da soja. Sobre a produtividade, a estimativa foi estipulada em 58,62 saca/hectare, o que representa 1,26% abaixo em relação ao rendimento da safra 2021/22.

Apesar do recuo na estimativa, neste primeiro momento as projeções ficam limitadas,
devido a alguns pontos que podem impactar no decorrer da safra, como: condições climáticas e incertezas de investimento devido ao alto custo de produção.

Por fim, a produção total ficou projetada em 39,48 milhões de toneladas para o estado.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Pesquisa mostra Emanuelzinho e Medeiros na frente em Cuiabá e VG
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA