CUIABÁ

POLÍTICA

Medeiros participará de atos em apoio a Bolsonaro em Brasília e SP

Publicados

POLÍTICA

O deputado federal José Medeiros (Podemos) tem usado as redes sociais e falas na imprensa para convocar os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para as manifestações em todo o país marcadas para o próximo dia 7 de setembro, Dia da Independência do Brasil. Vice-líder do governo na Câmara Federal, Medeiros acompanhará o presidente na manifestação em Brasília e São Paulo.

“Quem não puder ir no ato em Brasília ou São Paulo, participe em sua cidade. Em Mato Grosso, haverá manifestação em vários municípios. Vamos sair às ruas de verde e amarelo, com nossa bandeira, para defender o governo Bolsonaro, a liberdade e a nossa democracia”, disse o parlamentar, nesta sexta-feira (3),em Sinop, durante reunião com a diretoria do União das Entidades de Sinop (Unesin).

Para Medeiros, o ato da próxima terça-feira será uma resposta aos ataques e às tentativas de golpe que o governo Bolsonaro vem enfrentando. Ao contrário do que disse o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, o deputado federal afirma que a manifestação será pacífica e em defesa da liberdade.

Leia Também:  Justiça Eleitoral define o máximo de gasto nas campanhas 2022 em MT

“Os Poderes não podem temer o povo nas ruas. O brasileiro mudou e está cada vez mais atento às movimentações políticas, deixando claro de que quem tira ou coloca presidente é o povo. E agora, quando a população percebe que estão querendo tirar de forma antidemocrática um presidente que acabou com a corrupção no país, ela volta às ruas, neste 7 de setembro, para dizer que quer liberdade, não quer ruptura, quer respeito entre os Poderes, respeito a nossa Constituição, não quer um Poder maior que o outro, quer o Senado Federal fazendo o papel dele e não se acovardando diante de interesses e quer que deixe o presidente, que foi eleito de forma de democrática, governar”, reforça Medeiros.

Um dos estados onde o presidente Bolsonaro tem o maior índice de aprovação, Mato Grosso terá manifestação em várias cidades, entre elas, Cuiabá, Rondonópolis, Sinop, Sorriso, Lucas do Rio Verde, Barra do Garças, Campo Novo do Parecis, Cotriguaçu, Jangada, entre outras. Além disso, a previsão é que saia de Mato Grosso cerca de 50 ônibus para Brasília.

Leia Também:  Aliado de Neri rechaça PT: "Eu sou Bolsonaro"

“Os mato-grossenses estão se organizando para participar da manifestação pró-governo em Brasília. São famílias inteiras que estão indo participar reforçar seu apoio ao presidente Bolsonaro e ao país”, finaliza o parlamentar.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

POLÍTICA

TCE aponta superfaturamento de prefeitos de MT na pandemia

De acordo com o TCE, houve superfaturamento na compra de cada um dos kits de testes COVID. As unidades foram compradas por R$ 1,3 mil

Publicados

em

O Consórcio alvo do TCE é formado pelos municípios de Juara, Tabaporã, Porto dos Gaúchos e Novo Horizonte do Norte.

O Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT) apontou superfaturamento no preço pago por testes de Covid-19 pelo Consórcio Intermunicipal de Saúde Vale do Arinos (Cisva).

Conforme o TCE, a irregularidade ocorreu na compra de testes em 2020, em período agudo da pandemia. O julgamento da tomada de contas ocorreu nos últimos dias.

Ninguém do Consórcio Intermunicipal de Saúde Vale do Arinos se pronunciou, até o momento. A tomada de contas ordinária foi instaurada pelo TCE para apurar irregularidades no certame emergencial.

Segundo o Tribunal de Contas, o consórcio intermunicipal comprou cerca de 70 kits de testes com a dispensa de licitação. O valor pago por esses kits foi de 91 mil reais. Ainda de acordo com o TCE, houve superfaturamento na compra e cada um desses kits saiu por R$ 1,3 mil, enquanto que o estado, já tinha contrato firmado para entrega de itens parecidos, no valor de R$ 98,50.

Ao analisar o processo, o conselheiro-relator Antônio Joaquim ponderou que, embora a compra tenha sido superfaturada, os agentes públicos envolvidos estão isentos do dano ao erário, uma vez que foi constatada conduta dolosa por parte das empresas beneficiadas, mas estendeu a eles a responsabilização pelo dano, por entender que houve erro grosseiro na aquisição dos testes.

Leia Também:  Prefeita gasta mais de R$ 1 milhão com Luan Santana, Zé Felipe e cia

Assim, Antônio Joaquim julgou regulares as contas prestadas pelo presidente e demais servidores e irregulares as contas prestadas pelas empresas.

Suspensão da compra

O TCE havia suspendido a compra dos kits emergenciais devido aos indícios de sobrepreço, em junho 2020. O Consórcio é formado pelos municípios de Juara, Tabaporã, Porto dos Gaúchos e Novo Horizonte do Norte.

Durante a compra somente Juara possuía casos de pacientes com Covid-19, o que, segundo o TCE, não justifica a forma como foi procedida a aquisição dos testes.

O Consórcio Intermunicipal de Saúde Vale do Arinos, presidido pelo prefeito de Porto dos Gaúchos (MT), Moacir Pinheiro Piovezan, afirmou que o valor pago no momento da compra estava de acordo com o valor de mercado e que se levou em consideração a ‘Lei da Oferta e Procura’.

O advogado do CISVA, Rony de Abreu Munhoz, disse, na época, que a comparação de preços realizada pelo TCE-MT foi com base em produtos distintos. Segundo ele, os produtos adquiridos pelo consórcio possuíam qualidade superior aos adquiridos pelo estado, que foram citados na ação.

Leia Também:  Segundo Cattani, bolsonaristas raiz são "fiéis às suas esposas"
COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA