CUIABÁ

QUEM ESTÁ MENTINDO?

PSB confirma Natasha ao Senado no palanque de Mauro Mendes

Enquanto Fagundes anuncia que teve a garantia de palanque fechado de Mauro, governador manda vídeo à convenção que deve oficializar Natasha

Publicados

POLÍTICA

Tensão pré-convenção é recheada de guerras de discursos, contradições e buscas por espaço em Mato Grosso.

A médica Natasha Slhessarenko (PSB), apesar de muitas especulações tratando de sua desistência, deve ser confirmada como candidata ao Senado Federal na convenção do PSB de Mato Grosso, neste sábado (30).

O mistério que ronda o evento ficará por conta do discurso de Mauro Mendes (UNIÃO), que segue em São Paulo acompanhando a primeira-dama Virginia Mendes, mas gravou um vídeo que será exibido no telão.

A mensagem do governador deve selar a presença de Natasha em seu palanque e, consequentemente, o apoio do PSB à sua candidatura à reeleição, o que acabaria por desmentir a versão do atual senador, Wellington Fagundes (PL), que deu outra versão sobre o arco de aliança.

Segundo Fagundes, líder do partido de Jair Bolsonaro (PL), em Mato Grosso, uma reunião no início da semana junto de lideranças do União Brasil teria sacramentado que o seu projeto seria o único do palanque ao Senado Federal, sepultando a ideia do “palanque aberto”, que tanto atrai Mendes.

O próprio Fábio Garcia, líder estadual do União Brasil, confirmou que existiria uma vedação legal que impediria mais de um nome na coligação, até porque somente uma vaga estará em disputa.

Leia Também:  Mauro vê plágio em plano de Governo de Márcia e Emanuel ironiza

Nova frente

Diante do impasse, o deputado federal, José Medeiros (PL), se reuniu com o líder do Partido Liberal e com o próprio presidente, Jair Bolsonaro (PL), em Brasília, quando ouviu do presidente que o mandatário também não quer subir em palanque que estará apoiadores de Lula. 

A fala se deve ao fato, por exemplo, do PSB de Natasha ser o partido que mais do que provavelmente indicará o vice do petista, no caso, o ex-governador Geraldo Alckmin. Em Mato Grosso, todavia, o partido é comandado pelo deputado estadual, Max Russi (PSB), aliado político de Mauro.

A acomodação dos partidos que irão compor o arco de aliança de Mauro Mendes ainda está sendo desenhada, mas se o governador insistir com a ideia de não se comprometer o PL, de fato, deve sair do arco de aliança e pode até lançar um projeto próprio.

Medeiros ainda defende a ideia de uma junção com o PSB, lançando ao cargo de governador o pré-candidato ao Senado Federal, Antônio Galvan (PSB), que traria a Fagundes muito mais proximidade com os bolsonaristas do que o próprio Mauro.

Leia Também:  Bezerra segue junto de Neri e vê votos de Natasha vindo a aliado

Últimos momentos

A formação final da chapa do governador, contudo, só será anunciada pelo próprio assim que ele retornar para Mato Grosso, somente na próxima semana. Até lá, proavelmente não haverá confirmação sobre a versão de Wellington e nem do PSB.

Natasha, inclusive, participou nesta sexta-feira (29) da convenção nacional do PSB, que oficializou Alckmin fechando chapa com Lula, mostrando alinhamento com as pautas nacionais do partido.

O palanque petista em Mato Grosso está reservado para Neri Geller (PP), outro que Mauro quer arrumar um jeito de manter perto para seu projeto de reeleição, mesmo com toda contradição que se aflora. O PP tem como um dos líderes o ex-governador, Blairo Maggi, que já disse “ser Neri ao Senado e Mauro ao Governo”.

O governador, aliás, que inicialmente abominava totalmente o PT, declarou, nos últimos dias, que “não vê problemas se Lula vencer” e que não tem “adversários concorrendo à Presidência da República”.

A tensão com o público bolsonaristas ficou ainda pior quando o governador ridicularizou Bolsonaro por novamente colocar as urnas eleitorais em suspeição.

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA

Mauro vê plágio em plano de Governo de Márcia e Emanuel ironiza

Grupo de oposição quer colocar em prática aquilo que o governador, enquanto candidato, teorizou e nunca entregou

Publicados

em

Emanuel é o coordenador da campanha de Márcia e vai explorar os desgastes do atual gestor para dar fôlego ao projeto oposicionista. FOTO - Marcus Vallant GD

A candidata a governadora de Mato Grosso, Márcia Pinheiro (PV), rebateu a acusão de que seu plano de governo é plágio das propostas apresentadas por Mauro Mendes (UB), nas eleições de 2018.

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), coordenador da campanha de Márcia, disse que as propostas descritas no Plano de Governo de Marcia atendem exatamente a necessidades universais não cumpridas pela atual gestão do Estado.

Dentre os pontos, cita o pagamento da Revisão Geral (RGA) e a valorização dos servidores públicos. “Não se trata de nenhum demérito. É uma questão de redação. E se o gestor atual não conseguiu cumprir o que havia prometido, é uma necessidade do povo, vai constar no Plano de Governo”, Emanuel Pinheiro (MDB).

A coordenação da campanha a reeleição de Mauro apontou que 23 compromissos protocolados na Justiça Eleitoral em 2018 pelo então candidato e atual governador Mauro Mendes (UB) foram plagiados, na íntegra, pela candidata de oposição Márcia Pinheiro (PV), em seu Plano de Governo das eleições de 2022.
No total, 71 propostas de Mauro em 2018 foram alvo de “inspiração” para a primeira-dama de Cuiabá, sendo 23 integralmente copiadas. De acordo com Emanuel, “o fato de serem propostas idênticas ou semelhantes deve-se, exclusivamente, a inoperância da atual gestão que não cumpre o que promete. E, logicamente, o debate deve ser retomado. Se é uma necessidade da população, o assunto retornará a pauta”, asseverou.

Leia Também:  Janaína diz que candidatura de Márcia é subterfúgio de Emanuel

Quanto à entrega do novo hospital municipal de Cuiabá , o coordenador lembra que foi a gestão Emanuel Pinheiro quem finalizou e entregou à população de todo estado o maior e mais moderno hospital de Cuiabá, obra que foi prometida pelo então prefeito Mauro Mendes e que não foi entregue.

Hoje, em razão da desassistência da saúde no interior do Estado, o novo pronto-socorro é a referência a milhares de moradores de Mato Grosso e a citação à construção, descrita no Plano de Governo, trata-se de um erro da equipe redatora e será devidamente corrigido.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA