CUIABÁ

GUINADA À ESQUERDA

Sem Mauro e Bolsonaro, Neri confirma reunião com Gleisi por apoio do PT

Geller já desistiu de tentar a neutralidade de Bolsonaro e demonstra já estar ciente de que também não terá o apoio de Mauro Mendes.

Publicados

POLÍTICA

Sobre seus principais aliados, o pré-candidato ao Senado disse que o PSD está ciente da guinada à esquerda, mas ainda terá que falar com o MDB

Pré-candidato ao Senado e em busca de formar um grupo de peso para as eleições de outubro, o deputado federal Neri Geller (PP) confirmou que as conversas com a cúpula nacional do PT, para tratar sobre possível aliança com a federação formada com PV e PCdoB, em Mato Grosso, estão bem encaminhadas.

Sobre o movimento, o progressista, que foi ministro da Agricultura e Pecuária no Governo de Dilma Rousseff (PT), período que lhe rendeu uma prisão pela Polícia Federal, por atender ao monopólio JBS, afirmou que os partidos já  alinhados estão cientes da aproximação.

Neri diz que o PSD, do senador Carlos Fávaro está “100% alinhado” e já teria dado aval para a composição com os petistas e toda federação. Geller já desistiu de tentar a neutralidade de Jair Bolsonaro (PL) no pleito e demonstra estar ciente de que também não terá o apoio de Mauro Mendes (UB).

Neri contou que recebeu a presidente nacional da federação, deputada federal Gleisi Hoffmann, em seu gabinete, em Brasília, na sexta-feira (24), e conversou sobre a possibilidade de compor com os partidos de centro-esquerda. A expectativa é de que até na próxima semana haja uma confirmação ou não da aliança.

Leia Também:  Lula deve vir a MT para lançar Márcia Pinheiro ao Governo

“Estamos conversando sim e não vou dispensar apoio aqui no estado. Sou muito colega da deputada Rosa Neide (PT) e estamos dialogando com todos os partidos”, disse, nesta segunda-feira (27).

O pré-candidato pontuou que ainda não conversou com o presidente regional do MDB, deputado federal Carlos Bezerra, sobre a reunião com Gleisi. Neri ainda garantiu que o PSD, de Fávaro, está 100% alinhado com as tratativas.

O deputado ressalta que tal articulação vai mudar o cenário eleitoral de Mato Grosso e que irá continuar dialogando com seus aliados do PSD e MDB, assim como com legendas que demonstraram interesse de aderir a seu projeto, como o PSDB.

Nacionalmente, o PSD tem sido cortejado por Lula, que quer o apoio do partido ainda no primeiro turno. Algumas situações regionais, especialmente no Paraná, no entanto, atrasam uma aliança.

Aliança com Mauro

Sobre Mauro Mendes (União), apesar de o governador não ter oficializado apoio a Wellington, o grupo de Neri entende que os sinais dados pelo chefe do Executivo estadual e seus aliados até então confirmam que o deputado não é o escolhido para formação da chapa majoritária.

Leia Também:  Prefeito de Pedra Preta morre de câncer aos 74 anos

Nesta segunda, Neri fez questão de dizer que apoia a gestão e que ajudou o estado desde que assumiu o mandato, em 2019. Sobre a aproximação de Mauro e Wellington, Neri demonstrou tranquilidade e já estar conformado.

“Estou próximo é da Gestão, estou viabilizando a candidatura. Não quer dizer que vou me afastar do governador, quero apoio, pois quanto mais apoio melhor. Sempre falei que minha candidatura ao Senado é independente da candidatura de governador. Vou avançando”, disse.

“Não sei qual é a posição do governador. Ok, normal, é vida que segue. Vamos continuar ajudando o governo, pois sou deputado federal, o parlamentar que estava mais alinhado com o governo desde o primeiro dia. Foi na época boa e na época ruim, não estou entrando no ônibus agora”, completou.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA

Mauro vê plágio em plano de Governo de Márcia e Emanuel ironiza

Grupo de oposição quer colocar em prática aquilo que o governador, enquanto candidato, teorizou e nunca entregou

Publicados

em

Emanuel é o coordenador da campanha de Márcia e vai explorar os desgastes do atual gestor para dar fôlego ao projeto oposicionista. FOTO - Marcus Vallant GD

A candidata a governadora de Mato Grosso, Márcia Pinheiro (PV), rebateu a acusão de que seu plano de governo é plágio das propostas apresentadas por Mauro Mendes (UB), nas eleições de 2018.

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), coordenador da campanha de Márcia, disse que as propostas descritas no Plano de Governo de Marcia atendem exatamente a necessidades universais não cumpridas pela atual gestão do Estado.

Dentre os pontos, cita o pagamento da Revisão Geral (RGA) e a valorização dos servidores públicos. “Não se trata de nenhum demérito. É uma questão de redação. E se o gestor atual não conseguiu cumprir o que havia prometido, é uma necessidade do povo, vai constar no Plano de Governo”, Emanuel Pinheiro (MDB).

A coordenação da campanha a reeleição de Mauro apontou que 23 compromissos protocolados na Justiça Eleitoral em 2018 pelo então candidato e atual governador Mauro Mendes (UB) foram plagiados, na íntegra, pela candidata de oposição Márcia Pinheiro (PV), em seu Plano de Governo das eleições de 2022.
No total, 71 propostas de Mauro em 2018 foram alvo de “inspiração” para a primeira-dama de Cuiabá, sendo 23 integralmente copiadas. De acordo com Emanuel, “o fato de serem propostas idênticas ou semelhantes deve-se, exclusivamente, a inoperância da atual gestão que não cumpre o que promete. E, logicamente, o debate deve ser retomado. Se é uma necessidade da população, o assunto retornará a pauta”, asseverou.

Leia Também:  Prefeito de Pedra Preta morre de câncer aos 74 anos

Quanto à entrega do novo hospital municipal de Cuiabá , o coordenador lembra que foi a gestão Emanuel Pinheiro quem finalizou e entregou à população de todo estado o maior e mais moderno hospital de Cuiabá, obra que foi prometida pelo então prefeito Mauro Mendes e que não foi entregue.

Hoje, em razão da desassistência da saúde no interior do Estado, o novo pronto-socorro é a referência a milhares de moradores de Mato Grosso e a citação à construção, descrita no Plano de Governo, trata-se de um erro da equipe redatora e será devidamente corrigido.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA