CUIABÁ

R$ 1 BILHÃO DO POVO

Taques critica decisão de Mendes sobre VLT: "o dinheiro não é dele"

“Vamos fazer o quê? Vamos fazer “baguncinha” com aqueles vagões? Food-truck, R$ 1 bilhão de food-truck?”, indaga Taques

Publicados

POLÍTICA

Ex-governador participou de um podcast e criticou abertamente a manobra de Mendes.

O ex-governador de Mato Grosso, Pedro Taques, detonou seu sucessor, o atual gestor estadual, Mauro Mendes (UB), nos últimos dias, por decidir enterrar mais de R$ 1 bilhão de investimentos feitos para a instalação dos vagões do VLT da capital para gastar mais quase meio milhão para implantar os polêmicos ônibus BRT.

A fala do gestor, ponderando que também não conseguiu, enquanto governador, solucionar a equação que se arrasta desde a Copa de 2014, focou na questão financeira da questão e do quanto é inexplicável ignorar tamanho investimento feito. Taques lembrou que na obra também consta recursos vindos de tributos cobrados fora de Cuiabá e Várzea Grande.

“Eu defendo agora o VLT porque já compramos isso aí. Esse dinheiro não é meu, não é do governador Mauro Mendes. É do povo, veio do Fethab, o interior também contribuiu com isso, acho que o melhor caminho é o VLT, minha avaliação é essa. Mas eu já tive minha oportunidade e não consegui terminar. Espero que o atual governador resolva porque o abacaxi é dele”, disse Pedro.

Leia Também:  Mauro ignora apelo ribeirinho e veta projeto de proteção ao Rio Cuiabá

Taques participou do podcast “Podre de Xique” e afirmou que dar um jeito de finalizar o VLT foi uma promessa de campanha de Mauro, que chegou a dar prazo pra isso. “O governador Mauro Mendes disse que em um ano ia trazer a solução para o VLT. Jogo é jogo, treino é treino. Está vendo aí, não é assim porque a hora que você está de fora é fácil criticar, engenheiro de obra pronta, vamos dizer assim. Agora, lá dentro, vai terminar o mandato dele e ele também não terminou o VLT e agora quer o BRT. Vamos fazer o quê? Vamos fazer “baguncinha” com aqueles vagões? Food-truck, R$ 1 bilhão de food-truck?”, comentou, alfinetando Mendes.

O ex-gestor estadual, que anteriormente teve passagem destacada no Senado Federal, afirmou que chegou a ter a polêmica obra engatilhada para ser resolvida. “Negociamos com o consórcio, apresentamos um novo projeto ao Ministério Público Estadual e Federal, aí de repente veio aquela Operação Descarrilho que as pessoas fizeram delação e falaram sobre a corrupção no VLT. Aí a obra teve que parar e está parada até hoje”, detalhou Taques.

Leia Também:  CPI aponta improbidade e pede afastamento de secretária filha de prefeito

Apesar das alfinetadas no atual governador – que trava uma verdadeira batalha, inclusive ameaçando ministro do Tribunal de Contas da União – TCU para conseguir implantar o BRT – Taques desejou sucesso a Mendes e espera que ele consiga as soluções necessárias para o estado e que tenha mais efetividade que ele próprio teve.

“Errei e acertei, mas procurei sempre acertar. Perdi a eleição para o atual governador Mauro Mendes, o que é absolutamente normal em uma democracia e eu sou um democrata. Quem perde vai pra casa e quem ganha governa, eu sou um soldado pra ajudar Mato Grosso. Desejo ao Mauro Mendes sucesso, competência e que faça o melhor governo do que o meu porque todos nós vamos bem”

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA

VEJA aponta Bolsonaro 15 pontos à frente de Lula em MT

Segundo média de pesquisas publicadas, o atual mandatário crava 47,7% da preferência no estado e o ex-presidente petista surge com 32,6%.

Publicados

em

Em nenhum outro estado analisado o presidente tem o índice de aprovação popular mais alto que Mato Grosso. A diferença em relação a Lula, porém, é maior no Acre

Levantamento da empresa de consultoria Vector Research, publicado no site da revista Veja, nesta semana, confirma o atual presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), absoluto em Mato Grosso.

O levantamento traçou um paralelo direto entre Bolsonaro e Lula (PT), seu principal adversário e com quem deve, de fato, disputar diretamente o maior cargo do país nas urnas, em 2022.

Os números confirmam a liderança bolsonaristas em Mato Grosso com 15 pontos percentuais de frente, com o atual mandatário cravando 47,7% da preferência e o ex-presidente petista surgindo com 32,6%.

Cenário geral

Embora em solo mato-grossense o índice de apoio bolsonarista seja o maior registrado, do ponto de vista de vantagem direta sobre Lula, ou seja, de diferença entre um e outro, o estado mais bolsonarista é o Acre.

Por lá, são mais de 18 pontos de frente do atual presidente. Enquanto Bolsonaro chega a ter 47,4% das intenções de voto, Lula surge com 29,1%.

Diferença similar ocorre, também, em Santa Catarina, onde Bolsonaro supera Lula por 45,1% a 29%. A liderança se mantém acima do patamar de 40% em Goiás, com 42,4% contra 32,1% do petista..

Leia Também:  Beijo gay em apresentação artística cria polêmica no interior de MT

O MAIS PETISTA

Do outro lado dos números, o Piauí é onde Lula (PT) tem a maior vantagem sobre Jair Bolsonaro (PL), com mais de 46 pontos de diferença.

O ex-presidente tem 64,2% de preferência entre os eleitores do estado nordestino, enquanto o presidente que busca a reeleição marca 17,3%.

Apanhado geral

O mapa da disputa presidencial nos estados foi montado pela Vector Research a partir de uma análise média com pesquisas de 15 institutos, realizadas entre os dias 6 de maio e 29 de junho em 24 estados (exceto Amapá e Rondônia) e no Distrito Federal.

A empresa preferiu restringir a análise à dupla de atuais líderes nas sondagens.

Veja abaixo os índices comparativos entre os principais candidatos à Presidência da República por estado:

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA