CUIABÁ

AMO O SENHOR DE PAIXÃO

Tigresa apela a Lula para reverter ação de Rosa Neide que a barrou no PT

Tigresa chegou a ser lançada por uma ala do PT como pré-candidata a deputada estadual, no início deste mês

Publicados

POLÍTICA

Jovem atriz pornô pressiona ex-presidente pra revólver imbróglio no partido em MT

A jovem atriz pornô, Ester Caroline Perralto, conhecida como “Tigresa Vip”, divulgou um vídeo nas redes sociais, neste início de semana, em que acusa a deputada federal, Rosa Neide (PT), de ser a responsável por barrar a sua filiação no PT de Mato Grosso.  Ela pediu a interferência do ex-presidente Lula para reverter a situação

“Sempre defendi o senhor e venho defendendo, com muita garra, amor e carinho. Amo o senhor de paixão e quero que o senhor interfira nessa decisão. Não vamos deixar que o Partido dos Trabalhadores aqui em Mato Grosso seja uma ditadura”, disse ela se dirigindo ao ex-presidente.

Tigresa chegou a ser lançada por uma ala do PT como pré-candidata a deputada estadual, no início deste mês, mas após uma semana de polêmicas, viu sua filiação ser suspensa por “supostas falhas na tramitação”.

Tigresa ingressou com recurso junto à Executiva Nacional e não descarta buscar as vias judiciais para permanecer no partido.

Leia Também:  Galvan sinaliza com "surpresa" do PTB para disputar Governo com Mauro

No vídeo, gravado nas margens de um rio, a pré-candidata rejeitada diz que irá “lutar” para ter a sua filiação regularizada no PT e que não abandonou o projeto de sair candidata.

Ela ainda fez referência direta à Rosa Neide, dizendo que “não tem medo de ninguém” e acusando-a de ser a responsável pela situação atual.

“Nesse áudio que foi divulgado, está bem claro que foi ela que interferiu para excluir a minha filiação. E eu não vou aceitar que um ou outro, que uma meia dúzia, vá mandar no partido”, disse.

“Espero que esse vídeo chegue ao presidente Lula e ele resolva essa situação”, acrescentou. Segundo Tigresa, a reversão da situação da sua filiação mostrará que o PT em Mato Grosso “não tem discriminação, não tem racismo, não tem preconceito”.

“Vamos mostrar que o PT acolhe todos e todas”, afirmou.

VEJA VÍDEO DE TIGRESA:

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA

Emanuelzinho quer R$ 20 mil de Abílio por postagem com sua foto

Ex-vereador fez post nas redes sociais sobre sua pré-candidatura a deputado federal e tentou reviver a “rivalidade” com a família Pinheiro

Publicados

em

Jovem parlamentar não gostou do uso de sua imagem e acionou a Justiça. FOTO - Ednilson Aguiar/OLivre

O deputado federal Emanuelzinho (MDB-MT) já entrou na Justiça contra o ex-vereador de Cuiabá, Abílio Jacques Brunini Moumer, o “Abilinho” (PL), por um post do ex-membro da Câmara de Vereadores da capital, no Instagram, neste início de semana, que utiliza sua imagem.

De acordo com o processo, Emanuelzinho pede a retirada da publicação (que já foi feita), uma retratação pública de Abilinho, além do pagamento de uma indenização de R$ 20 mil. Em seu pedido, o deputado federal, que é filho do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), aponta que Abilinho possui uma “rixa” com sua família.

O ex-vereador fazia oposição ao prefeito da capital e chegou a disputar o segundo turno das eleições de 2020, no entanto, acabou sendo derrotado por Pinheiro, que conseguiu se reeleger. “Tal imagem, retrata o autor em papel antagonista ao do réu, se valendo de uma rixa infundada que o réu possui com a família do autor e que demonstra o claro viés vexatório da aludida publicação, uma vez que incita o ódio por parte de seus correligionários para com a pessoa do autor”, diz o parlamentar no processo.

Leia Também:  Laudo confirma que Riva não tem mais câncer e o obriga a pagar imposto

No post discutido nos autos, Abilinho aparece na frente da imagem, ressaltando sua pré-candidatura a deputado federal, e Emanuelzinho em segundo plano, em uma tentativa de criar a mesma “rivalidade” que teve com o pai do deputado federal, em busca de atrair holofotes.

A montagem sugere que o parlamentar seria um “alvo” do ex-vereador. “A imagem está sendo exposta sem o consentimento do autor, que em momento algum autorizou este tipo de publicação veiculada pelo réu com caráter degradante e ridicularizante”, reclama o parlamentar no processo.

O caso está sob análise do 2º Juizado Especial Cível de Cuiabá, que ainda não proferiu uma decisão sobre o assunto. O post no Instagram já foi apagado por Abilinho, que a um seguidor esclareceu em novo post, agora sozinho na imagem, que “sua esposa tinha achado a imagem muita feia”.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA