CUIABÁ

PREVENÇÃO

Nutricionista dá dicas sobre como reforçar imunidade de crianças através da alimentação

O início do inverno gera preocupação, principalmente devido ao surgimento de doenças respiratórias, sobretudo nos menores

Publicados

SAÚDE

Alerta é da nutricionista do sistema Hapvida, Adila Almeida

Os meses com dias mais frios do ano refletem muito na saúde da população. De acordo com um relatório da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), o início do inverno gera preocupação, principalmente devido ao surgimento de doenças respiratórias.  Isso porque as temperaturas mais baixas ajudam na propagação de vírus que causam infecções como gripes, resfriados e a Covid-19.

Além disso, aumentam também os casos de sinusite, rinites, crises de asma e bronquite. Nesse cenário, as crianças viram grandes vítimas dessas doenças, principalmente quando ficam mais tempo em ambientes fechados. Para combater esses riscos, a nutricionista do sistema Hapvida, Adila Almeida, destaca que é necessário praticar uma alimentação que reforce a imunidade.

“Uma boa alimentação vai fazer toda a diferença na condição imunológica”, disse. Ela aponta ainda que é importante incluir na rotina e no cardápio alimentos fontes de vitamina C, que são encontrados em frutas como acerola, kiwi, goiaba, limão e laranja. A especialista lembra também da necessidade do consumo de alimentos fonte de vitamina A, presentes em frutas e legumes de cor alaranjada.

Leia Também:  Segundo SES, 97% dos pacientes de UTI COVID não fecharam vacinação

“Eles possuem potencial antioxidante e conseguem manter as nossas células sadias, além de serem fontes também de zinco, geralmente encontrados em ovos e cereais integrais. Também é importante o consumo de fontes de vitamina B9, presentes em vegetais como couve, espinafre e brócolis. Eles possuem potencial de renovar e fortalecer as células do nosso sistema imune”, completou.

A utilização de iogurtes naturais integrais na dieta alimentar também é indicada para melhorar a flora intestinal, e assim, reforçar o sistema imunológico. “Não podemos esquecer de usar temperos naturais como alho, cebola, cheiro verde e açafrão nas refeições das crianças” lembrou. Para ela é preciso estimular uma alimentação nutritiva, sendo isso essencial para garantir hábitos saudáveis para uma vida toda.

Sistema Hapvida

O Sistema Hapvida é a maior rede de saúde integrada do país em número de beneficiários, nos segmentos de saúde e odontologia. Em 2022, a combinação de negócios do Hapvida com a NotreDame Intermédica (NDI), resultou na criação de uma das maiores operadoras de saúde verticalizadas do mundo, com cerca de 15 milhões de clientes e 18% de participação de mercado em planos de saúde.

Leia Também:  Ocupação de UTI COVID em Mato Grosso já chega a quase 80%

Tanto o Hapvida quanto a NDI participaram intensamente da consolidação do mercado de saúde nos últimos anos, através de uma combinação de crescimento orgânico e aquisições. A companhia possui mais de 68 mil funcionários, cerca de 27 mil médicos e 28 mil dentistas.

Com o objetivo de garantir o acesso a saúde de qualidade a um custo eficiente, a empresa comercializa planos de saúde e odontológicos e presta serviços através de rede assistencial própria composta por 85 hospitais, 77 prontos atendimentos, 318 clínicas médicas e 269 centros de diagnóstico por imagem e coleta laboratorial.

Para mais informações, acesse: hapvida.com.br e ri.hapvida.com.br

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

SAÚDE

Segundo SES, 97% dos pacientes de UTI COVID não fecharam vacinação

Mato Grosso registra 763.788 casos confirmados de covid-19, além de 14.990 óbitos em decorrência do coronavírus no estado

Publicados

em

As vacinas podem ser aplicadas a partir dos 5 anos de idade. Para isso, basta levar um documento com foto na unidade de saúde disponível para imunização em cada município.

A taxa de pacientes internados por covid-19 nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) de Mato Grosso que não completaram o esquema de vacinação já passa de 97%, nesta quinta-feira (30), segundo a Secretaria Estadual de Saúde – SES. O percentual é superior ao divulgado na última terça-feira (28), quando esses pacientes eram 91% dos internados.

Ainda de acordo com a SES, atualmente há 106 pessoas internadas por complicações da covid-19 nas UTIs em Mato Grosso. Desses pacientes, 103 não tomaram todas as doses da vacina contra o novo coronavírus, ou seja, as duas doses iniciais e a dose de reforço.

“É um dado que nos preocupa e demonstra que a falta de vacinação é o principal motivo para o crescimento de casos mais sérios da covid-19, que levam os pacientes aos hospitais”, alerta a secretária de Estado de Saúde Kelluby de Oliveira.

Kelluby ressalta que a vacinação contra a covid-19 já está disponível na rede pública há um ano e meio, já sendo comprovado que a imunização é o meio mais seguro de se prevenir contra as formas mais graves da doença.

Leia Também:  Segundo SES, 97% dos pacientes de UTI COVID não fecharam vacinação

Conforme o monitoramento da SES, além da alta taxa de ocupantes de UTI sem imunização completa, as enfermarias pactuadas também estão lotadas de pacientes que não tomaram todas as doses da vacina contra a covid. Nesta quinta, dos 442 pacientes internados, 428 estão com esquema vacinal incompleto, ou seja, 96,8%.

“Se hoje retornamos nossas atividades normais, foi porque a vacinação, iniciada ainda em 2021, permitiu a redução da circulação do vírus. Por isso precisamos que todos tenham consciência da importância da imunização. Com a vacina, a pessoa não protege apenas a si, mas toda a coletividade”, destaca a secretária de saúde.

Atualmente, a Secretaria de Estado de Saúde conta com estoque de mais de 646 mil imunizantes contra a covid-19, que continuam sendo encaminhados pelo Ministério da Saúde. As doses estão distribuídas nos 15 Escritórios Regionais de Saúde e na Rede de Frios do Estado, e são repassadas para os municípios conforme a solicitação das secretarias municipais de saúde.

As vacinas podem ser aplicadas a partir dos 5 anos de idade. Para isso, basta levar um documento com foto na unidade de saúde disponível para imunização em cada município.

Leia Também:  Ocupação de UTI COVID em Mato Grosso já chega a quase 80%

Dados atualizados

Até quarta-feira (29), Mato Grosso registrava 763.788 casos confirmados de covid-19, além de 14.990 óbitos em decorrência do coronavírus no estado. Dos casos confirmados, 11.072 infectados estão em monitoramento, e 737.008 já estão recuperados.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (135.802), Várzea Grande (53.697), Rondonópolis (44.297), Sinop (34.359), Tangará da Serra (24.595), Lucas do Rio Verde (23.510), Sorriso (23.343), Primavera do Leste (22.864), Cáceres (17.720) e Alta Floresta (17.054).

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA