CUIABÁ

PANDEMIA SOB CONTROLE

Prefeito de Cuiabá descarta retorno de obrigatoriedade de máscara

Gestor garantiu que o aumento de casos está sendo monitorado e ressaltou que está sob controle, sem quadros graves

Publicados

SAÚDE

Emanuel Pinheiro ressalta que "por enquanto" não vê necessidade de causar novos traumas nos cuiabanos

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), disse durante sua live, ontem (7) à noite, que medidas restritivas, como o retorno da obrigatoriedade do uso de máscaras, não devem ser implementadas na capital, por enquanto.

O anúncio ocorre em meio ao aumento de casos de Covid-19 na região metropolitana da cidade, que o gestor afirma estar sendo acompanhado com cautela.

“Ainda não há necessidade de colocar novos traumas perante a sociedade cuiabana, perante o direito de ir e vir, e também perante os costumes da população e também, sacrificar mais ainda o setor produtivo que já tá com a corda no pescoço”, disse Pinheiro.

Conforme Pinheiro, entre os motivos que justificam a decisão está, por exemplo, o manejo da pandemia na capital. Ele mencionou que, apesar do aumento, os casos, em Cuiabá, estão sendo tratados em casa, em sua grande maioria.

O prefeito também informou que, atualmente, apenas quatro pessoas diagnosticadas com o novo coronavírus estão internadas em enfermarias.

“Não há indicativo de mais internações, pelo menos por enquanto […] estamos avançando na vacinação, estamos avançando na quarta dose da vacina. Mediante todo esse cenário, não há necessidade, por hora, de determinar nenhuma mudança”, disse Emanuel.

Leia Também:  Segundo SES, 97% dos pacientes de UTI COVID não fecharam vacinação

Sobre o uso de máscara, o prefeito disse que o uso é uma recomendação, mas, por enquanto, não há possibilidade de retornar o uso obrigatório do item de proteção individual, o que já é cogitado pela Secretaria Municipal de Saúde de Várzea Grande, cidade que também observa o aumento de casos de Covid-19.

“Quem já está usando [máscara] continue usando, então é uma recomendação, mas fica mais nesta seara da sugestão, da recomendação mesmo. Por enquanto, estamos avançando e conseguindo suportar essa nova onda, [mas] vamos acompanhando e monitorando”, finalizou.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

SAÚDE

Segundo SES, 97% dos pacientes de UTI COVID não fecharam vacinação

Mato Grosso registra 763.788 casos confirmados de covid-19, além de 14.990 óbitos em decorrência do coronavírus no estado

Publicados

em

As vacinas podem ser aplicadas a partir dos 5 anos de idade. Para isso, basta levar um documento com foto na unidade de saúde disponível para imunização em cada município.

A taxa de pacientes internados por covid-19 nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) de Mato Grosso que não completaram o esquema de vacinação já passa de 97%, nesta quinta-feira (30), segundo a Secretaria Estadual de Saúde – SES. O percentual é superior ao divulgado na última terça-feira (28), quando esses pacientes eram 91% dos internados.

Ainda de acordo com a SES, atualmente há 106 pessoas internadas por complicações da covid-19 nas UTIs em Mato Grosso. Desses pacientes, 103 não tomaram todas as doses da vacina contra o novo coronavírus, ou seja, as duas doses iniciais e a dose de reforço.

“É um dado que nos preocupa e demonstra que a falta de vacinação é o principal motivo para o crescimento de casos mais sérios da covid-19, que levam os pacientes aos hospitais”, alerta a secretária de Estado de Saúde Kelluby de Oliveira.

Kelluby ressalta que a vacinação contra a covid-19 já está disponível na rede pública há um ano e meio, já sendo comprovado que a imunização é o meio mais seguro de se prevenir contra as formas mais graves da doença.

Leia Também:  Segundo SES, 97% dos pacientes de UTI COVID não fecharam vacinação

Conforme o monitoramento da SES, além da alta taxa de ocupantes de UTI sem imunização completa, as enfermarias pactuadas também estão lotadas de pacientes que não tomaram todas as doses da vacina contra a covid. Nesta quinta, dos 442 pacientes internados, 428 estão com esquema vacinal incompleto, ou seja, 96,8%.

“Se hoje retornamos nossas atividades normais, foi porque a vacinação, iniciada ainda em 2021, permitiu a redução da circulação do vírus. Por isso precisamos que todos tenham consciência da importância da imunização. Com a vacina, a pessoa não protege apenas a si, mas toda a coletividade”, destaca a secretária de saúde.

Atualmente, a Secretaria de Estado de Saúde conta com estoque de mais de 646 mil imunizantes contra a covid-19, que continuam sendo encaminhados pelo Ministério da Saúde. As doses estão distribuídas nos 15 Escritórios Regionais de Saúde e na Rede de Frios do Estado, e são repassadas para os municípios conforme a solicitação das secretarias municipais de saúde.

As vacinas podem ser aplicadas a partir dos 5 anos de idade. Para isso, basta levar um documento com foto na unidade de saúde disponível para imunização em cada município.

Leia Também:  Segundo SES, 97% dos pacientes de UTI COVID não fecharam vacinação

Dados atualizados

Até quarta-feira (29), Mato Grosso registrava 763.788 casos confirmados de covid-19, além de 14.990 óbitos em decorrência do coronavírus no estado. Dos casos confirmados, 11.072 infectados estão em monitoramento, e 737.008 já estão recuperados.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (135.802), Várzea Grande (53.697), Rondonópolis (44.297), Sinop (34.359), Tangará da Serra (24.595), Lucas do Rio Verde (23.510), Sorriso (23.343), Primavera do Leste (22.864), Cáceres (17.720) e Alta Floresta (17.054).

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA