CUIABÁ

SAÚDE

Vacinação contra a gripe influenza termina na próxima sexta-feira (15.06)

Publicados

SAÚDE

A campanha nacional de vacinação contra a gripe influenza entra na reta final nesta segunda-feira (11.06) em todo o País. A vacinação do grupo prioritário definido pelo Ministério da Saúde termina na sexta-feira (15.06).

Segundo informou Thiago Rondon, da Gerência de Vigilância em Doenças Imunopreveníveis (Rede de Frio da SES/MT), a população prioritária prevista para ser vacinada no Estado é de 666.364 pessoas, sendo que até a última sexta-feira, dia 8 de junho, já haviam sido vacinadas 547.084 pessoas, o que representa uma cobertura total de 82,01%. “A expectativa é de atingir a meta geral que é de 90% até o dia 15 de junho, quando se encerra a campanha nacional de vacinação”, informou Rondon.

Em Mato Grosso, 31% dos 141 municípios, já atingiram a meta de 90% de cobertura do público alvo, que são: idosos acima de sessenta anos de idade, crianças na faixa etária de seis meses a cinco anos de idade, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), profissionais de saúde, povos indígenas, grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais e população privada de liberdade, além dos funcionários do sistema prisional.

Outros 48% dos municípios estão com cobertura entre 70% e 90% e os demais, 21%, estão com cobertura abaixo de 70%.

O município de Santa Cruz do Xingu continua com baixa cobertura vacinal, mantendo o índice de 3,82%; o município de Rondolândia registrou até o momento 25,41% de cobertura; depois estão os municípios de Feliz Natal com 36,55% e Colniza com 46,09%. Os municípios de Cáceres, Gaúcha do Norte, Jauru, Nova Canaã do Norte e Peixoto de Azevedo estão com índices abaixo de 60%.

Leia Também:  Segundo SES, 97% dos pacientes de UTI COVID não fecharam vacinação

A Secretaria de Estado de Saúde lembra que os municípios têm até quinze dias após o encerramento da campanha de vacinação para lançar os dados de vacinas aplicadas.

A vacina contra gripe é segura e salva vidas. Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% e 45% o número de hospitalizações por pneumonias, de 39% a 75% a mortalidade global e em, aproximadamente, 50% nas doenças relacionadas à influenza.

A imunização deve ser feita antes do início do inverno, que começa em junho, isso porque a vacina contra gripe não está na rotina do Calendário Nacional de Saúde. Trata-se de uma vacina de campanha, ou seja, ocorre somente em um período específico, de maior circulação do vírus, que vai do final de maio até agosto.

“A vacina leva, em média, de duas a três semanas para criar os anticorpos que geram proteção contra a gripe após a vacinação”, explicou Mara Patrícia, superintendente de Vigilância à Saúde da SES-MT.

De acordo com Thiago Rondon, gerente de Vigilância de Doenças Imunopreveníveis, todas as doses de vacinas (850 mil doses) destinadas pelo Ministério da Saúde para atender a população prioritária de Mato Grosso foram distribuídas para os 16 Escritórios Regionais de Saúde.

Leia Também:  Segundo SES, 97% dos pacientes de UTI COVID não fecharam vacinação

O que é gripe influenza:

É uma infecção viral aguda do trato respiratório, com elevada transmissibilidade, podendo ser contraída várias vezes ao longo da vida, podendo se manifestar de forma mais ou menos grave. Existem vários tipos e subtipos do vírus Influenza. Contudo, apenas os vírus A e B causam doença com impacto significativo na saúde humana. A influenza ocorre durante todo o ano, mas é mais frequente nos meses do outono e do inverno. No Estado do Mato Grosso ocorre à circulação de vírus da Influenza Sazonal A H3 e B. Informou a Vigilância Epidemiológica estadual.

Diferença entre gripe comum e síndrome respiratória aguda grave

A gripe comum apresenta sintomas como febre, acompanhada de tosse ou dor de garganta e início dos sintomas. É importante procurar o médico para o tratamento adequado.

A síndrome respiratória aguda grave também provoca febre, acompanhada de tosse ou dor de garganta e dispneia (dificuldade para respirar). Também podem ser observados os seguintes sinais: saturação de O2 menor que 95% (nível de oxigênio no sangue) ou desconforto respiratório ou aumento da frequência respiratória.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

SAÚDE

Segundo SES, 97% dos pacientes de UTI COVID não fecharam vacinação

Mato Grosso registra 763.788 casos confirmados de covid-19, além de 14.990 óbitos em decorrência do coronavírus no estado

Publicados

em

As vacinas podem ser aplicadas a partir dos 5 anos de idade. Para isso, basta levar um documento com foto na unidade de saúde disponível para imunização em cada município.

A taxa de pacientes internados por covid-19 nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) de Mato Grosso que não completaram o esquema de vacinação já passa de 97%, nesta quinta-feira (30), segundo a Secretaria Estadual de Saúde – SES. O percentual é superior ao divulgado na última terça-feira (28), quando esses pacientes eram 91% dos internados.

Ainda de acordo com a SES, atualmente há 106 pessoas internadas por complicações da covid-19 nas UTIs em Mato Grosso. Desses pacientes, 103 não tomaram todas as doses da vacina contra o novo coronavírus, ou seja, as duas doses iniciais e a dose de reforço.

“É um dado que nos preocupa e demonstra que a falta de vacinação é o principal motivo para o crescimento de casos mais sérios da covid-19, que levam os pacientes aos hospitais”, alerta a secretária de Estado de Saúde Kelluby de Oliveira.

Kelluby ressalta que a vacinação contra a covid-19 já está disponível na rede pública há um ano e meio, já sendo comprovado que a imunização é o meio mais seguro de se prevenir contra as formas mais graves da doença.

Leia Também:  Segundo SES, 97% dos pacientes de UTI COVID não fecharam vacinação

Conforme o monitoramento da SES, além da alta taxa de ocupantes de UTI sem imunização completa, as enfermarias pactuadas também estão lotadas de pacientes que não tomaram todas as doses da vacina contra a covid. Nesta quinta, dos 442 pacientes internados, 428 estão com esquema vacinal incompleto, ou seja, 96,8%.

“Se hoje retornamos nossas atividades normais, foi porque a vacinação, iniciada ainda em 2021, permitiu a redução da circulação do vírus. Por isso precisamos que todos tenham consciência da importância da imunização. Com a vacina, a pessoa não protege apenas a si, mas toda a coletividade”, destaca a secretária de saúde.

Atualmente, a Secretaria de Estado de Saúde conta com estoque de mais de 646 mil imunizantes contra a covid-19, que continuam sendo encaminhados pelo Ministério da Saúde. As doses estão distribuídas nos 15 Escritórios Regionais de Saúde e na Rede de Frios do Estado, e são repassadas para os municípios conforme a solicitação das secretarias municipais de saúde.

As vacinas podem ser aplicadas a partir dos 5 anos de idade. Para isso, basta levar um documento com foto na unidade de saúde disponível para imunização em cada município.

Leia Também:  Segundo SES, 97% dos pacientes de UTI COVID não fecharam vacinação

Dados atualizados

Até quarta-feira (29), Mato Grosso registrava 763.788 casos confirmados de covid-19, além de 14.990 óbitos em decorrência do coronavírus no estado. Dos casos confirmados, 11.072 infectados estão em monitoramento, e 737.008 já estão recuperados.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (135.802), Várzea Grande (53.697), Rondonópolis (44.297), Sinop (34.359), Tangará da Serra (24.595), Lucas do Rio Verde (23.510), Sorriso (23.343), Primavera do Leste (22.864), Cáceres (17.720) e Alta Floresta (17.054).

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

BRASIL E MUNDO

AGRO E ECONOMIA

FAMOSOS

MAIS LIDAS DA SEMANA